Supermercados registram alta de 11% nas carnes em novembro

Aumento do produto pressionou a inflação geral nos mercados; coxão duro subiu 15% no período

São Paulo

O aumento das carnes bovinas pressionou a inflação dos supermercados no mês de novembro, segundo a Apas (Associação Paulista de Supermercados). Os cortes vendidos nos mercados tiveram alta de 11% no período, fazendo com que a inflação geral subisse 1,21%.

Com isso, no acumulado do ano, a alta de preços dos supermercados ficou em 3,24%. Em 12 meses, chegou a 3,79%. No mesmo período, as carnes subiram 12,5%.

Dentre os cortes que mais tiveram aumento estão o coxão mole, com alta de 14,8% somente em novembro, e o contrafilé, que subiu 13,9% no mês.

O aumento dos cortes bovinos também puxa para cima a inflação de outros tipos de proteínas. As aves, por exemplo, subiram 6,12% em novembro. Já as carnes suínas tiveram alta de 5,48% no mesmo período.

O levantamento mostra ainda que, dos 27 produtos pesquisados pela associação, 20 tiveram alta no mês passado. Ronaldo dos Santos, presidente da Apas, diz que está atento ao vaivém do valor das carnes.

Para ele, há uma tendência de queda, já que, depois de a arroba do boi subir mais de 50%, houve baixa de 10% no início do mês. “A variação do preço na matéria-prima [boi] acaba refletindo no preço para o consumidor, tanto a alta como a queda.”

Ainda não caiu

A queda na arroba do boi ainda não foi sentida no bolso do consumidor, segundo dados da FGV (Fundação Getulio Vargas). O IPC-S, que é a inflação semanal, teve alta de 0,87% na semana terminada em 15 de dezembro.

Dentre os motivos do aumento está a elevação no grupo alimentação, que saltou de 1,34% para 2,12%, puxado pelas carnes bovinas, cuja taxa de inflação teve alta de 11,84%, na semana anterior, para 15,92%, na semana até 15 de dezembro.

Em alta | Compras de novembro

  • O aumento no preço das carnes pressionou a inflação dos supermercados no mês de novembro

  • Segundo a Apas (associação do setor), as carnes subiram 11% no mês e, com isso, a inflação dos supermercados teve alta de 1,21% no mesmo período

Cortes que mais subiram
*Variações em %
 

Em novembro  No ano
Coxão duro: 14,8% Braço: 25,3%
Contrafilé: 13,9% Fígado: 17,2%
Alcatra: 12,9% Acém: 16,7%
Fraldinha: 12,4% Músculo: 14,6%
Coxão mole: 11,9% Alcatra: 14,3%
Patinho: 11% Lagarto: 13,4%
Braço: 10% Contrafilé: 11,9%
Acém: 9,1% Patinho: 11,3%
Lagarto: 8,3% Coxão mole: 10,9%
Picanha: 8,1% Costela bovina: 10,8%
Costela bovina: 7,9% Fraldinha: 7%
Músculo: 5,9%
Coxão duro: 6,6%
Filé-mignon: 5,6% Filé-mignon: 0,6%
Fígado: 0,2% Picanha: -3,7%

Motivos da alta da carne 

  • Aumento de exportações para a China​

  • Alta do dólar, o que faz os produtores optarem por vender para outros países, deixando o mercado interno praticamente desabastecido

  • Período de entressafra

Outros tipos​

  • Além da carne bovina, outras proteínas também subiram, porque o consumidor tende a substituir 

  • Aves tiveram aumento ainda maior, de 6,12% no mês

  • No caso das carnes suínas, a alta foi de 5,48% em novembro

Fonte: Apas (Associação Paulista dos Supermercados)

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.