Descrição de chapéu Vigilante Agora

Praças estão abandonadas, sujas e depredadas na capital

Vigilante encontrou muito lixo, mato alto e consumo de drogas

Leonardo Zvarick
São Paulo

As praças da capital es­tão abando­nadas pela Prefeitura e são subutili­zadas pela população. Lixo nos cantei­ros, mato alto e depredação são apenas alguns dos pro­blemas encontrados em visi­ta do Vigilante Agora a dez praças, distribuídas nas cinco regiões da cidade, na segun­da-feira (15).

Em cinco delas, havia mo­radores de rua instalados e, em duas, a reportagem pre­senciou venda e consumo de drogas. O único local onde não foram encontrados pro­blemas mais evidentes foi a praça Irmãos Karmann (zona oeste de SP), que é conserva­da por uma associação de moradores da região.

Na zona norte, as condições das praças visitadas sugeriam que ambas são pouquíssimo frequentadas pela popula­ção. Nas duas havia mato alto e árvores precisando de poda.

Também faltam lixeiras na Dirceu de Lima (Casa Verde), e a Renato de Araújo Salgado (Santana) está com os balan­ços do parquinho quebrados.

Essa situação se repete por toda a cidade. De todas as praças visitadas que tinham brinquedos ou quadras es­portivas, somente duas esta­vam em condições plena­mente adequadas. As duas praças da zona sul tinham gols sem rede e pintura gasta no chão das quadras.

Na praça Doutor Sampaio Vidal, na Vila Formosa (zona leste), o parquinho estava enferrujado e com a tinta gasta, e um dos balanços es­tava quebrado.

Descarte irregular de lixo é uma constante. Em algumas praças, como na Padre Da­mião, na Vila Prudente (zona leste), pilhas se acumulavam nos canteiros.

O mesmo acontecia na praça do Encon­tro, no Jabaquara (zona sul), pois as poucas lixeiras esta­vam cheias.

Também é comum se de­ parar com moradores de rua dormindo nos canteiros ou bancos. Na região central, tanto na praça Roosevelt quanto na praça Princesa Isa­bel, eram quase tão numero­sos quanto os visitantes.

Na Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, na zona oeste, um morador de rua havia se ins­talado numa barraca. No mesmo lugar, frequen­tado por muitos jovens, o Vigilante Agora flagrou um motoboy com identificação de um aplicativo de entregas vendendo drogas a um visi­tante.

Na praça Princesa Isa­bel havia mais de uma deze­na de usuários, assim como traficantes, durante a    pre­sença da reportagem.

Prefeitura promete realizar vistoria e corrigir problemas citados

Por meio de nota, a Prefeitura de São Paulo, sob gestão Bruno Covas (PSDB), se comprometeu a realizar vistorias e corrigir os problemas identi­ficados pelo Vigilante relação a serviços de zela­doria. Entre a visita da reportagem e a publica­ção desta reportagem, alguns dos serviços fo­ram concluídos pelas equipes das subprefeitu­ras.

A manutenção em brinquedos e quadras será realizada assim que possível. Houve refor­ma recente na praça do Encontro, mas os gols permanecem sem rede e o piso sem pintura —ainda não há prazo para essas intervenções.

Na praça Pinheiro da Cunha os serviços estão em fase de contratação.

Com relação ao grande número de moradores de rua vivendo nas praças da capital, a Secreta­ria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social disse que realiza diariamente oferta dos seus serviços a essa população.

A pasta também oferece assistência constante a usuários de drogas, sobretudo na praça Princesa Isabel.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.