Descrição de chapéu Zona Oeste

Começa nesta segunda-feira o veto a motos na marginal Pinheiros

Circulação está proibida na pista expressa em direção à rodovia Castelo Branco

Yala Sena
São Paulo

A partir desta segunda-feira (20), a Prefeitura de São Paulo, sob gestão Bruno Covas (PSDB), começa a proibir a circulação de motos na pista expressa da marginal Pinheiros, no sentido rodovia Castelo Branco.

A medida é para reduzir os índices de mortes na via dentro do plano "Visão Zero", de que nenhuma morte é aceitável. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) contabiliza dez acidentes fatais com motos no corredor da marginal Pinheiros em 2018. Segundo a Companhia cresceu em 17,7% o número de motociclistas mortos no trânsito paulistano, de 2017 (311 fatalidades) para 2018 (366).

Por 30 dias não haverá aplicação de multas aos motoqueiros. Após o período, quem circular pela pista receberá multa de R$ 130,16 e terá quatro pontos na CNH (carteira de habilitação).

A via expressa da marginal Pinheiros tem velocidade máxima de 90 km/h para veículos leves. A prefeitura crê que há risco de mortes e acidentes.

"Onde a velocidade é maior, quem está em uma moto fica mais vulnerável. A pista expressa da marginal é uma via de trânsito rápido, com tráfego intenso. Por isso, para preservar a segurança dos motociclistas, a circulação desses veículos deve ocorrer somente na pista local", afirmou o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

A determinação é que os motoqueiros transitem pela pista local que tem velocidade entre 50 e 60 km/h. A proibição vai do trecho entre a Ponte Transamérica até cerca 300 metros antes da Ponte Fepasa.

A partir desta segunda, motociclistas que estejam na marginal Pinheiros e desejem acessar a Rodovia Castello Branco devem seguir pela pista local até a ponte dos Remédios para fazer o retorno para entrar na estrada. A primeira restrição à circulação de motos foi em 2010 na marginal Tietê em ambos os sentidos.

Motoboys

Rodrigo Ferreira, diretor do Sindicato dos Motoboys de São Paulo, afirmou que a categoria, em torno de 200 mil, na capital é contra a medida da prefeitura e não descarta uma paralisação.

"Os pedidos que fizemos à prefeitura foram todos em vão. Não está descartada uma paralisação e na segunda vamos avaliar os prejuízos para a categoria", disse.

O diretor informou que na pista circula cerca de quatro mil motociclistas por hora. Ele alegou que a prefeitura não tem estatística na via e nem campanha educativa.

"A prefeitura não tem dados reais de mortes e acidentes naquela via da marginal Pinheiros e há risco em todas as ruas e avenidas da capital. Somos contra também porque fere o direito de ir e vir do cidadão", disse Rodrigo Ferreira.

CET

Em nota, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) esclarece que "a proibição do tráfego de motocicletas na pista expressa da marginal Pinheiros (sentido Castello Branco) é uma medida que visa à segurança dos condutores, baseada em estudos técnicos".

Em 2018, ocorreram dez acidentes fatais envolvendo motociclistas na marginal Pinheiros. Destes, seis ocorreram nas pistas expressas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.