Passageiros enfrentam demora para recarregar o Bilhete Único

Postos da SPTrans tem filas e poucos funcionários para o atendimento

Alfredo Henrique
São Paulo

De sete postos da SPtrans que oferecem recarga ou emissão de segunda via do Bilhete Único, seis estão com funcionários insuficientes, gerando filas e demora no atendimento.

Os locais também não oferecem bancos para usuários se sentarem, além de não garantirem o atendimento preferencial. O Vigilante Agora esteve nos postos no dia 13 e verificou a falta de qualidade.

A procura pelos locais aumentou, segundo usuários, após a prefeitura, gestão Bruno Covas (PSDB), determinar o fim da comercialização do Bilhete Único sem cadastro. A decisão foi publicada no Diário Oficial, em fevereiro, e entra em vigor no próximo dia 24. 

Às 14h40, no posto do terminal Jabaquara (zona sul), 94 pessoas aguardavam. O tempo de espera, segundo usuários, era entre uma e duas horas. Idosos não tinham prioridade. 

Em Santana (zona norte), 45 pessoas aguardavam também entre uma e duas horas. Além de não ter lugar para sentar, parte da fila fica ao ar livre. De seis guichês, só metade funcionava.

No posto de Pinheiros (zona oeste), metade dos oito guichês atendia a uma fila de 47 pessoas, por volta das 13h45. "Nunca vi mais do que quatro atendentes aqui", disse a empresária Elaine da Palma, 53 anos. No local também não há assentos. O tempo médio de espera é entre uma hora e meia e duas horas. 

Ainda no início da tarde, 13 pessoas formavam fila no posto da Penha (zona leste). O tempo de espera para o atendimento, em pé, chegava a 40 minutos.

Três postos oferecem serviços na região central. No Terminal Dom Pedro, na Sé, somente quatro de dez guichês funcionavam. O balcão prioritário era usado por pessoas fora do perfil. Idosos aguardavam na fila. 

No Terminal Bandeira, 26 pessoas aguardavam em pé, por volta das 10h20. A espera vai de 40 minutos a uma hora. Já no posto de atendimento de gratuidades, no Centro Histórico, sobram assentos para o público e O ambiente é climatizado, com pouca espera.

Resposta

A SPTrans diz que vai reorientar a empresa responsável pelo atendimento ao público a dar preferência aos passageiros com necessidades especiais.

A empresa diz que a quantidade de funcionários que atendem ao público nos guichês é definida conforme a demanda.

Ainda segundo a SPTrans, os meses de janeiro e abril são os com maior número de procura por atendimento. A empresa recomenda a compra pela internet.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.