Cabeleireiro é acusado de estuprar mulher com problemas mentais

Segundo a polícia, o acusado teria violentado a vítima ao menos quatro vezes

Alfredo Henrique
São Paulo

A polícia prendeu na tarde desta quarta-feira (26) um cabeleireiro acusado de estuprar uma mulher com problemas mentais, na região do Butantã (zona oeste de São Paulo). O acusado, de 59 anos, teria violentado a vítima ao menos quatro vezes. 

Segundo o delegado Lupércio Antônio Dimov, titular do 51º DP (Butantã), a vítima, de 33 anos, comentou com a mãe sobre as violências no início da semana. “Parentes afirmaram que a moça acordava gritando e chorando à noite. Ela também afirmou sentir dores [na região íntima]”, afirmou o policial. 

Prisão ocorreu após investigação do 51º DP (Butantã); cabeleireiro é acusado de ao menos quatro estupros contra a mesma vítima - Folhapress

O irmão da vítima foi à delegacia na segunda-feira (24) e comunicou o crime. Dimov explicou que, como não tinham o nome do acusado, pesquisaram sua identidade a partir de uma placa de carro, a partir de relatos da mulher. “Conseguimos a identificação hoje [quarta-feira] e fizemos a prisão”, disse. 

Segundo a polícia, o acusado atraiu a vítima para dentro de seu salão de cabeleireiro, ao menos quatro vezes. Ele foi indiciado por estupro qualificado, pelo fato de ter abusado de uma pessoa incapaz. 

Após a prisão, o cabeleireiro teria admitido que introduziu o dedo nas partes íntimas da vítima, mas negou que a tenha penetrado com o órgão sexual. “Porém o laudo médico constatou o abuso”, afirmou o delegado, se referindo a exame feito pela vítima no hospital Pérola Byington.  

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria, registrou 1.066 estupros na capital paulista, entre janeiro e março deste ano. Deste total, 748 foram de incapazes, representando 70%

Comparando os 748 estupros de incapazes, com os 609 registrados no mesmo período de 2018, houve um aumento de 22 % neste tipo de crime na cidade.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.