Casos de sarampo sobem para 384 no estado de SP

Campanha de vacinação contra a doença vai até o dia 16 de agosto

O estado de São Paulo registrou 384 casos de sarampo de 1º de janeiro até esta segunda-feira (15), segundo a Secretaria Estadual da Saúde. Destes, 272 (70%) estão na capital paulista e são autóctones, ou seja, contraídos no local de residência.

No último balanço, divulgado em 1º de julho, eram 206 casos no estado.
 

Funcionários de um edifício comercial na avenida Paulista, na região central, tomam vacina contra sarampo - Rubens Cavallari - 05.abr.2019/Folhapress,

A campanha de vacinação contra o sarampo, que deveria ter sido finalizada em 12 de julho, foi prorrogada até 16 de agosto na capital paulista. A medida também é válida para Guarulhos e Osasco (Grande SP), São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul (ABC). O Dia D de mobilização contra o sarampo será neste sábado (20). 

A vacinação é voltada a jovens com idades entre 15 e 29 anos. Esta faixa etária concentra o maior número de pessoas que podem ter deixado de tomar as duas doses da vacina, recomendadas pelo calendário nacional de imunização. A adesão é fundamental para conter o surgimento de novos casos da doença.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, até 11 de julho, o município de São Paulo aplicou 89.523 doses da vacina tríplice viral, única forma de prevenção. A meta é imunizar 2,9 milhões de jovens. 

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O Programa Nacional de Imunizações prevê a administração da tríplice viral aos 12 meses, e um reforço aos 15 meses com a tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e catapora).
Para tomar a vacina contra sarampo basta ir a um posto de saúde com documento de identidade.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.