Dono de revólver encontrado com crianças se apresenta à polícia

Filhos de jardineiro pegaram arma após testemunharem agressão contra a mãe

Alfredo Henrique
São Paulo

O pai de duas crianças flagradas caminhando pelo metrô com um revólver se apresentou nesta segunda-feira (22) na Delpom (Delegacia do Metropolitano). Ele trabalha como jardineiro, tem 29 anos, foi ouvido na delegacia e depois liberado.  

No último dia 15, o filho e a filha do jardineiro, 8 e 13 anos respectivamente, foram flagrados com um revólver calibre 38, na estação Palmeiras-Barra Funda, da linha 3-vermelha do metrô de São Paulo. 

Revólver calibre 38 que foi encontrado com os irmãos na estação Palmeiras-Barra Funda, da linha 3-vermelha, no dia 15 de julho; arma foi apreendida - Divulgação/Polícia Civil

Na ocasião, o Agora publicou que os dois irmãos fugiram de casa com a arma, que é ilegal, após flagrarem o José Marcos da Cruz Félix agredindo a mãe deles, uma cozinheira de 30 anos, com coronhadas. 

Segundo os menores falaram na ocasião à polícia, a ideia deles era ir até a casa dos avós maternos, na zona oeste da capital paulista, onde iriam pedir ajuda. Porém, segundo a polícia, eles não conseguiram fazer baldeação, de domingo para segunda-feira, e acabaram passando a noite da estação Barra Funda. 

“Ele [acusado] admitiu a posse da arma, mas negou que tenha a usado para agredir a mulher”, afirmou o delegado Marcelo Monteiro. 

O delegado disse que solicitou à Justiça medidas protetivas para os dois filhos e para a mulher de Félix. “Porém, a Justiça vai avaliar o pedido somente em 15 de agosto, quando ocorrerá uma audiência de justificação [que garante igualdade de condições entre réu e autor]”. 

Resposta 

O jardineiro José Marcos da Cruz Félix disse em seu depoimento que comprou o revólver de um caminhoneiro, sem mencionar local e data, com o intuito de “proteger a família”. 

Sobre as agressões contra a mulher, ele alegou que ambos beberam muito, no dia anterior ao que os filhos foram encontrados no metrô. Por conta disso, ainda segundo o acusado, o casal discutiu e, durante o embate, a companheira se desequilibrou e bateu a cabeça em um criado mudo do quarto. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.