Motorista de aplicativo invade base da PM para fugir de suposto assalto

Policiais mataram um dos três suspeitos com três tiros; dois suspeitos conseguiram fugir

Alfredo Henrique
São Paulo

Um motorista de aplicativo invadiu com seu carro um batalhão da PM, por volta da 1h deste domingo (28), em Carapicuíba (Grande SP), porque desconfiou que poderia ser assaltado por três passageiros que estavam no carro. Um deles acabou morto durante uma suposta troca de tiros com policiais.

Viatura em base da Polícia Militar no centro de São Paulo - Rubens Cavallari - 15.fev.19/Folhapress

Segundo o motorista disse em depoimento à polícia, ele recebeu um chamado para fazer uma corrida, na rua Celeste Sampaio Viana, de uma passageira chamada Mônica. Porém, quando chegou ao endereço, três homens o aguardavam. O trio embarcou rapidamente no carro e informou que iria para a zona leste da capital paulista. 

O motorista trafegou, por cerca de 2,5 km, quando avistou uma base do 33º Batalhão da PM. “Ele [condutor] pressentiu que seria roubado, momento em que teve a ideia de entrar com o veículo no interior do batalhão”, diz trecho do boletim de ocorrência. 

Ao ingressar na base da PM, segundo depoimento de um policial militar, três suspeitos desceram do carro e correram. Entre eles estava Jefferson Vieira Batista, 22 anos. 

Segundo o PM, Batista teria dado um primeiro tiro, no momento em que desembarcou do carro da vítima. Porém, os policiais não revidaram, pelo fato de que, no trajeto da fuga dele, pessoas estavam em frente a um bar. 

Três policiais perseguiram, a pé, aos três suspeitos. Cerca de 200 metros à frente, em uma escadaria, Batista teria atirado mais duas vezes. Dois policiais revidaram, dando dois tiros cada. O suspeito foi atingido duas vezes no peito e uma vez na perna esquerda. Ele morreu no local. Os outros dois conseguiram fugir. 

O motorista de aplicativo acrescentou ainda durante a corrida não lhe foi anunciado assalto e que, em nenhum momento, lhe foi mostrada a arma de fogo usada no suposto tiroteio. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.