Vítima é atirada do carro por ladrões no ABC

Um dos suspeitos acabou morto durante troca de tiros com PMs

Alfredo Henrique
São Paulo

O dono de um carro roubado foi jogado do veículo, em movimento, quando dois criminosos que o assaltavam tentavam fugir da polícia. O caso ocorreu por volta das 21h30 desta quarta-feira (17) em São Bernardo do Campo (ABC). 

Um dos suspeitos acabou morto após, segundo a Polícia Militar, ter trocando tiros com PMs que perseguiam o veículo. 

O dono de um carro roubado foi jogado do veículo
Policial militar ao lado de carro que foi roubado em São José dos Campos - Reprodução/TV Globo

A identidade da vítima e seu estado de saúde não foram informados.

Segundo a polícia, PMs da Rocam (Ronda com Motocicletas) foram avisados de que um Volkswagen Gol, branco, estaria sendo usado para praticar roubos na rua Alexandrina. 

Com base na descrição, os PMs localizaram o carro na avenida Domingos Patomati. Ao ordenar para que o motorista parasse, o suspeito acelerou o veículo.

Durante a perseguição, que segundo a PM passou por "diversas ruas", um dos criminosos abriu a porta do passageiro e jogou a vitima na rua, com o Gol em movimento. O dono do carro teria ferido a cabeça, durante a queda, e foi levado ao hospital Santa Helena. 

A perseguição continuou até a estrada Eiji Kikuti, quando a dupla desceu do carro e correu para dentro de um condomínio. 

Dois policiais desceram de suas motos e entraram no conjunto habitacional. 

Segundo boletim de ocorrência, o auxiliar de garçom Hiury Muller Monteiro, 22 anos, teria dado um tiro, de revólver 38, contra os policiais. Por conta disso, ainda segundo o documento, um dos soldados disparou quatro vezes contra o suspeito. 

"Ao ser atingido, ele largou sua arma no chão e correu, até que caiu", diz trecho do relato dos PMs. Monteiro foi socorrido, mas morreu a caminho do hospital. 

O outro suspeito, um pintor de 23 anos, foi encontrado dentro de um apartamento do conjunto habitacional e acabou preso.  

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.