Descrição de chapéu Zona Sul

Vídeo mostra PM apontando metralhadora e agredindo mulher em SP

Caso ocorreu durante ação policial na favela de Paraisópolis, na zona sul

Alfredo Henrique
São Paulo

Um vídeo feito com celular mostra o momento em que um policial militar agride a uma mulher, por volta das 12h desta quinta-feira (15), na favela de Paraisópolis, no bairro Vila Andrade (zona sul da capital paulista). A vítima, não identificada, registrava uma abordagem feita pela PM a um suspeito de tráfico de drogas. 

Além da agressão, mais um vídeo, também feito por celular, mostra outro policial atirando com um pistola calibre ponto 40 em direção a uma viela da comunidade. Ninguém se feriu.

Segundo relatado pelos PMs em depoimento, o suspeito de tráfico de drogas, um ajudante de 26 anos, tentou fugir ao avistar um carro da PM, que patrulhava a região. Durante a tentativa de fuga, ele dispensou uma mochila, onde havia drogas, ainda segundo os policiais. O suspeito, de acordo com a polícia, era foragido da Justiça desde 2011, quando um mandado de prisão foi expedido contra ele. 

Alguns metros adiante, na avenida Hebe Camargo, o acusado foi interceptado por outros policiais, que o imobilizaram. “O acusado resistiu à prisão e teve que ser contido com força física moderada. Mesmo assim todos [dois PMs e suspeito] caíram ao solo”, diz trecho do boletim de ocorrência. 

Ainda segundo imagens feitas com celular, dois policiais seguram o suspeito no chão, enquanto alguns moradores gritam que ele está sendo agredido. A mulher que faz as imagens é interpelada por um PM, armado. “Não pode filmar? É proibido? Estou filmando vocês batendo no cara [suspeito]”, afirma a mulher ao policial. 

PM aponta metralhadora para mulher
Policial militar aponta metralhadora para mulher que gravava com celular ação policial na favela de Paraisópolis (zona sul da capital paulista) - Reprodução

Em seguida um PM careca, usando óculos, se aproxima da mulher apontando para ela uma metralhadora. Na sequência, ele a agride usando o antebraço esquerdo, fazendo o aparelho cair no chão. Instantes depois, outro policial pega o aparelho e a gravação é interrompida.  

Tiro não registrado 

Segundo relatado pelos PMs que participaram da ação, durante a abordagem do acusado, moradores da favela teriam se exaltado e “tiros foram efetuados [...] para acabar com o tumulto”. O primeiro tiro foi dado por um PM usando pistola calibre ponto 40 e, depois, por outro policial usando uma carabina calibre 30. Essas informações constam no registro da Polícia Civil sobre o caso.  

Outro vídeo mostra um PM correndo com uma pistola em punho até uma viela, para a qual aponta e dá um tiro. Segundo as imagens, no entanto, não havia nenhuma aglomeração de pessoas para serem dispersados no momento do disparo - como foi afirmado em depoimento pelos PMs. 

Em seguida, é possível ouvir um segundo tiro, mas as imagens não mostram por quem foi dado e qual arma foi utilizada. 

Ao final da ocorrência, a PM apreendeu com o suspeito 36 trouxas de maconha, 49 porções de skunk (um tipo mais forte da mesma droga), 90 pinos e 36 papelotes de cocaína, 77 pinos de crack, além de 49 frascos de lança-perfume. 

Resposta 

A Polícia Militar afirmou que “todas as circunstâncias” relacionadas à ocorrência serão apuradas por meio de um Inquérito Policial Militar. 

A Ouvidoria das polícias instaurou um procedimento para acompanhar o caso. O órgão acrescentou que encaminhou os dois vídeos, mencionados nesta reportagem, à Corregedoria da PM.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.