Por ciúme, PM aposentado espanca e tortura guarda-civil

Policial militar acabou preso; violência ocorreu em Campinas

Renato Fontes
São Paulo

Um policial aposentado, de 51 anos, foi preso em flagrante por torturar e agredir um guarda-civil, de 46, na madrugada desta segunda-feira (29), na Vila Industrial, em Campinas (93 km de SP).

Segundo a Guarda Civil Municipal, o crime foi passional. O homem ferido estava em uma casa com a companheira, de 33 anos, ex do policial, que também acabou agredida. Não informado de quem é o imóvel.

Viatura da Polícia Militar no centro de São Paulo - Rubens Cavallari - 15.fev.19/Folhapress

“Ele recebeu golpes na cabeça, teve as costas riscadas com faca, a perna queimada e uma séria lesão no olho”, afirmou o comandante da Guarda campineira, Márcio Frizarin.

Ainda de acordo com Frizarin, o GCM teve os quatro pneus de seu carro perfurados pelo ex-PM. Mesmo assim, conseguiu dirigir até se deparar com uma viatura da Polícia Militar, que acionou a Guarda para ir ao local e deter o agressor em flagrante. No momento da prisão, ele estava armado com um revólver e uma pistola.

O casal prestou depoimento, fez exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) e foi liberado.

Em nota, a SSP (Secretaria da Segurança Pública), sob a gestão João Doria (PSDB), afirmou que o ex-PM passaria por audiência de custódia. O caso foi registrado como lesão corporal, cárcere privado, sequestro, tortura e violência doméstica na 2ª DDM (Delegacia da Defesa da Mulher) da cidade.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.