Descrição de chapéu Zona Sul

Adolescente é chicoteado por seguranças de mercado em SP

Jovem de 17 anos foi torturado depois de acusado pelo furto de quatro barras de chocolate

Alfredo Henrique
São Paulo

Um adolescente de 17 anos foi vítima de tortura, com um chicote, por cerca de 40 minutos em uma sala do supermercado Ricoy, na Cidade Ademar (zona sul da capital paulista). O crime ocorreu no mês passado. A data exata da violência não foi constatada ainda pela polícia.

Adolescente que aparece em vídeo sendo torturado por seguranças de unidade do Ricoy na Cidade Ademar (zona sul) - Reprodução/TV Globo

Segundo imagens captadas por celular, feitas por um dos dois suspeitos pelo crime, o jovem é golpeado por um chicote enquanto é mantido nu e com a boca amordaçada. O motivo para o crime, segundo relatado pela vítima à polícia, foi pelo fato de ela ter furtado quatro barras de chocolate no estabelecimento. 

Quando saía do mercado com os doces, ainda segundo a vítima, ela foi abordada por um segurança, de 49 anos, que teria ameaçado o jovem e o levado a um cômodo do supermercado, juntamente com outro segurança, de 37 anos. No local, teve início a sessão 
de tortura.  

“Depois de apanhar bastante, [o menor] foi liberado pelos agressores e não quis registrar queixa na polícia pois temia pela sua vida”, diz trecho de boletim de ocorrência.  O adolescente afirmou ainda que ouviu o segurança mais velho dizer que se ele o denunciasse iria matá-lo. 

Desde os 12 anos morando nas ruas, o adolescente foi apreendido uma vez após invadir uma residência. Pelo crime, cumpriu medida socioeducativa na Fundação Casa, órgão da gestão João Doria (PSDB). 

O delegado Pedro Luis de Sousa, titular do 80º DP (Vila Joaniza), afirmou que irá indiciar os seguranças do supermercado pelo crime de tortura. Ele acrescentou que os dois suspeitos, já identificados, terão de prestar depoimento nesta quarta-feira (4) na delegacia. 

“Este foi um crime covarde, extremamente violento, inominável. Eu, francamente, não consegui ver o vídeo todo. Isso é uma barbaridade, uma violência incomensurável”, avaliou o policial. O dono do mercado prestou depoimento nesta terça-feira no 81º DP. 

O adolescente foi submetido a exames de corpo de delito ainda nesta terça. O Conselho Tutelar de Cidade Ademar também acompanha o caso e vai buscar assistência psicológica ao jovem agredido.

A rede supermercadista Ricoy informou que os seguranças foram afastados de suas funções.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.