Prioridade será vacinar contra o sarampo criança de até 5 anos

Faixas etárias até esta idade são as que apresentam maior incidência de casos registrados no país

Marcelo Mora
São Paulo

O secretário de vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou na manhã desta quarta-feira (4), em Brasília (DF), que a prioridade a partir de agora no combate ao sarampo será a vacinação de crianças de 6 meses a 5 anos em todo o país.

De acordo com o ministério, a faixa etária com maior número de registros de casos é justamente a de bebês menores de 1 ano, com uma incidência de 54,2 casos para 100 mil habitantes. Em seguida, vêm as crianças de 1 a 4 anos - 15,8 casos por 100 mil habitantes.

Desta forma, a orientação às secretarias estaduais e municipais será a de priorizar a imunização destas faixas etárias. “Vimos em postos de saúde adultos com duas doses [já tomadas da vacina] dizendo que não tinham sido vacinados. Estamos tirando doses de crianças porque tem adultos que não estão seguindo a vacinação à risca”, declarou.

O secretário de vigilância, inclusive, foi didático sobre como as unidades de saúde deverão proceder. “Se na área da unidade há 100 crianças — e os agentes de saúde devem saber disso porque atuam na região — e tem 150 doses, eu vou priorizar 100 doses para essas crianças. É o grupo prioritário para este momento. E só vou vacinar as outras faixas etárias com as doses restantes”, disse.

O Ministério da Saúde destinou 1,6 milhão de doses extras da vacina tríplice viral a todos os estados, para garantir a imunização das crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias.

A Secretaria Estadual da Saúde afirma que, desde o início do ano até o momento, já são 2.982 casos confirmados de sarampo no Estado, sendo 1.883 na capital. A pasta esclareceu que segue vacinando bebês entre 6 meses a menores de 12 meses, conforme recomendação anterior, e que vai aguardar novas orientações por parte do ministério.

A secretaria municipal, por sua vez, diz que a vacinação em crianças entre 6 e 11 meses será mantida até atingir a meta de 95% de cobertura vacinal e que ainda não recebeu nenhuma nova orientação do ministério.

Mortes

O Ministério da Saúde informou que subiu para quatro o número de mortes confirmadas por sarampo no país. O novo registro ocorreu em Pernambuco, onde a Secretaria da Saúde divulgou a morte de uma criança com menos de 1 ano. Outras três mortes ocorreram em São Paulo, que responde por 98% dos casos da doença até o momento.

Só nos últimos 90 dias, parâmetro adotado pelo Ministério da Saúde para monitorar o surto, o Brasil registrou 2.753 casos confirmados de sarampo. Destes, 2.708 ocorreram no estado de São Paulo.

Em meio ao avanço nos registros, o ministério se prepara para fazer uma ampla campanha de vacinação contra a doença, a partir de outubro. Atualmente, a estimativa é que o país tenha até 39,9 milhões de pessoas não vacinadas.

Os dados, que se baseiam no histórico de registros da vacinação de rotina nos postos de saúde, foram levantados pela OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) em conjunto com a pasta. O balanço, porém, não considera campanhas específicas realizadas nos últimos anos, daí ser considerado uma estimativa, segundo a pasta. (Folha)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.