Descrição de chapéu Zona Sul

Pais temem fechamento de sala de aula em Emef

Estudantes com deficiência mental de escola na zona sul seriam afetados

Marcelo Mora
São Paulo

Pais de alunos e professores da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Marechal Eurico Gaspar Dutra, no Ipiranga (zona sul), fizeram um abaixo-assinado que será enviado à Secretaria Municipal de Educação para tentar evitar que salas de aula sejam fechadas em 2020.

Entrada da Emef Eurico Gaspar Dutra, no Ipiranga, na zona sul de São Paulo, que poderá ter redução de sala de aula no próximo ano - Rivaldo Gomes/Folhapress

Segundo eles, a escola recebeu notificação por parte da DRE (Diretoria Regional de Ensino) do Ipiranga de que as três turmas do 4º ano, com 24 alunos cada, passarão a ser duas, com ao menos 33 alunos, no 5º ano. A alegação para o fechamento é a de que há redução da demanda.

“O problema é que nós temos nestas três salas que vão virar duas vários alunos com deficiência [mental]. São pelo menos 10 alunos com laudo; inclusive, tem três alunos com deficiência severa, que precisam de estagiária para ficar com eles, precisa de AVE (auxiliar de vida escolar), que ajudam a ir no banheiro. A gente está com medo de que isso vá implicar em queda na qualidade de ensino para esses alunos e em maior desgaste para os profissionais da escola”, afirmou o professor Dimitri Aurélio Silveira.

Os pais de alunos com necessidades especiais são os mais apreensivos. “Meu próprio filho é autista. Então, ele vai ficar em uma sala superlotada. E tem o agravante de que o município não tem fornecido os profissionais necessários para acompanhar essas crianças especiais. Isso seria garantido por lei. Então, em vez de melhorar, de cumprir essas regras, vai acabar piorando”, diz Cristiano Gennari, 40, anos, pai de um aluno de 11.

“Hoje, trabalham com três estagiárias em sistema rotativo, para dar todo suporte para essas crianças especiais da escola inteira”, afirma Gennari. 

Pasta nega redução no atendimento

A Secretaria Municipal de Educação, gestão Bruno Covas (PSDB), diz que, em relação ao atendimento de alunos com deficiência, “a Emef Marechal Eurico Gaspar Dutra tem sete estudantes que são atendidos por cinco estagiários e três Auxiliares de Vida Escolar” e que não há previsão de redução do atendimento. 

Além disso, a pasta diz que o período de matrículas está aberto, “o que significa que as turmas ainda não foram divididas em salas” e que estas são formadas de acordo com a demanda de alunos, respeitando o estabelecido em portaria. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.