Parques de SP têm problemas e desperdício

Locais possuem poucas opções de lazer para criança e ainda jorram água em bebedouro

São Paulo

Os parques municipais da capital podem ser opções de lazer e prática esportiva na temporada de férias que bate à porta. Porém, nem todos estão do jeito que o público visitante gostaria.

O Vigilante Agora visitou há uma semana quatro das principais áreas verdes que a gestão Bruno Covas (PSDB) pretende entregar à iniciativa privada. Problemas pontuais foram registrados nos tradicionais parques, distribuídos em quatro regiões da cidade.

No Parque da Aclimação (zona sul), os motivos de reclamação da ala jovem são as quadras fechadas na semana, proibição de andar de bike e falta de espaços cobertos. 

Obra parada no parque da Aclimação, zona sul, que também tem playground interditado - Rubens Cavallari/Folhapress

"Parece privatizado e não espaço público", reclamou a estudante Isabela Costa Filardi, 18 anos, que conhecia o parque pela primeira vez, ao contrário dos amigos.

No Anhanguera, o maior dos parques municipais no extremo da zona norte, o número de vigilantes foi o maior registrado entre os parques visitados. Porém, é visível a falta de opções da vasta área verde nativa.

O playground de terra batida, por exemplo, não tem caixa de areia e, na área dos balanços, faltam peças.
No Ibirapuera (zona sul), a falta de pintura na ciclovia deixa o espaço com risco de acidentes.

Desperdício

A situação mais grave foi se deparar com um dos bebedouros do Parque do Carmo, em Itaquera (zona leste), que jorrava água sem parar. Detalhe: funcionários da zeladoria passavam de caminhão, viram e nada fizeram.

Cena que também espantou o casal Maria Lucia Oliveira da Silva, 56 anos, e Francisco de Assis da Silva, 61 anos. "Olha o desperdício de água", disse, revoltado, o comerciante à mulher.

O problema está no temporizador, que se puxada a válvula a água estanca. "Já apontamos o problema há um mês, mas ninguém arrumou", contou Silva.

A cor branca da água também espantou o angolano Job Alexandre Pinto Gumbi, 25 anos, em outro bebedouro próximo. "Não dá pra tomar. É cloro puro", afirmou.

Resposta

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, gestão Bruno Covas (PSDB), disse, em nota, que está em fase final o primeiro lote do processo de concessão de seis parques municipais: Ibirapuera (zona sul), Tenente Brigadeiro Faria Lima (Vila Maria/zona norte), Jacintho Alberto (Pirituba/zona norte), Jardim Felicidade (Pirituba), Lajeado (zona leste) e Eucaliptos (Campo Limpo/zona sul).

Sobre o parque Anhanguera, diz que, mesmo sendo o manejo realizado periodicamente, as chuvas podem contribuir para a altura do mato. A manutenção própria da SVMA tem retirado equipamentos que requerem manutenção, providenciando os reparos que puderem ser feitos no local. O parque não dispõe de bebedouros, mas de torneiras temporizadas nas áreas de maior circulação. As pias e demais espaços de higiene são mantidos com limpeza diária, o que pode virtualmente não atender ao volume em datas específicas.

Churrasqueira destruída e mesa sem condições de uso no parque do Carmo, na zona leste; local também tem poucos bebedouros - Rivaldo Gomes/Folhapress

Quanto ao parque do Carmo, as pistas de asfalto passam por manutenções periódicas e há projeto para o recapeamento de todas as áreas asfaltadas. A entrada principal receberá pintura. A guarita dos vigilantes não está com a estrutura condenada. Apresenta goteira no telhado e já foi solicitado serviço de manutenção. A escada, que dá acesso ao caminho da entrada principal, também vai passar por reparado, bem como os bancos e lixeiras espalhados pelo parque.

Quanto às churrasqueiras há um processo de licitação em andamento e previsão de manutenção das mesas de madeira.

No parque da Aclimação, as obras em andamento visam ajustar as áreas destinadas ao público infantil. Em um dos três playgrounds será mantido um tanque de areia. Nos demais, será aplicado piso emborrachado. A reforma também contempla uma academia da Terceira Idade. Pelo cronograma, após a entrega da primeira unidade, serão iniciadas as obras dos dois outros playgrounds. 

Com relação às quadras, a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer informa que elas são utilizadas de segunda a sexta-feira no horário das 8h às 17 horas pelos alunos e professores de futebol, kung fu, tai chi chuan, ginástica e pilates que são gratuitas para os munícipes, bastando realizar a inscrição na secretaria do Estádio Jack Marin. Aos sábados, domingos e feriados o uso é livre. Durante os meses de férias escolares (janeiro, fevereiro e julho) as quadras ficam abertas para o lazer no período das 8h às 17 horas. Caso o cidadão deseje utilizá-las para um grupo exclusivo, tem a opção de locar o espaço a noite, das 18h30 até 21h30, conforme o decreto nº 58.589, de 26 de dezembro de 2018.

No Jardim da Luz, por sua localização central e pelo grande fluxo de pessoas no fim de semana, o regulamento previu que o espaço fosse fechado para manutenção às segundas-feiras, preservando assim os frequentadores. Nessa data, são realizadas as manutenções e manejos.

No parque Ibirapuera, a CET informa que técnicos da companhia agendaram vistoria para a vaga para pessoa com deficiência, localizada no portão 4. Com base nessa vistoria será feito projeto prevendo a manutenção da sinalização horizontal. O bebedouro em questão passa por revisão para correção da falha apontada. Quanto à segurança, a SVMA reitera que os vigilantes (inclusive os que realizam a ronda com auxílio de bicicletas) respondem pela guarda patrimonial e também pela orientação ao munícipe. A segurança ao usuário é feita por meio de rondas da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.