Protetor solar e hidratação são essenciais no calor do verão

Cuidados simples evitam problemas de saúde na estação

São Paulo

Com a chegada do verão cresce o número de casos de algumas doenças típicas do período. Embora essencial para a saúde, a maior incidência de sol nessa época do ano provoca também o aumento de problemas de pele.

Viva bem sobre doenças do verão
Arte Agora SP

“O sol é muito importante para que o corpo humano consiga a vitamina D, no entanto, é também um forte causador de câncer de pele”, alerta Arnaldo Lichtenstein, médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. “É um período em que as pessoas frequentam mais a praia, mas fazem isso no horário errado.”

O médico do Hospital Sírio-Libanês Alfredo Salim Helito concorda com a avaliação. “Ficar exposto ao sol, sem protetor pode provocar sérias queimaduras na pele, principalmente, entre 10h e 14h. Este horário deve ser evitado.” 

Além de usar protetor solar, os especialistas recomendam cautela na prática de esportes. O excesso pode provocar desidratação e problemas ortopédicos. “As pessoas querem ir para praia mostrar o físico e, muitas vezes, praticam esportes com duração e intensidade muito maiores do que a capacidade física permitiria”, afirma Lichtenstein, que recomenda o consumo de água, água de coco e sucos naturais, mesmo para quem não pratica esportes, para evitar a desidratação.

Ele lembra ainda de dois problemas de pele comuns neste período do ano. Um é o bicho geográfico, provocado por parasitas encontrados em fezes de cachorro, muitas vezes encontradas na areia da praia. O outro são lesões de pele já existentes, mas que podem ser agravadas por bactérias encontradas no mar quando ele está poluído. 

Outra doença comum é a micose, que aumenta neste período porque as pessoas suam mais devido ao calor e porque muitos ficam com biquínis e sungas molhados após saírem do mar ou de piscinas. Usar talco entre os dedos dos pés e trocar a roupa de banho molhada por outras secas ao longo do dia são algumas dicas que podem ajudar a prevenir a doença.

Outro alerta é para a hepatite A, diz Helito. A doença pode ser transmitida no mar de praias poluídas e provoca náuseas, vômitos e olhos amarelados, entre outros. O médico reforça a importância da prevenção por meio de de vacina.

Negros também precisam proteger a pele e evitar exposição ao sol

É mito dizer que pessoas negras não precisam utilizar protetor solar, explica Arnaldo Lichtenstein, médico do Hospital das Clínicas. 

“Com certeza todos precisam usar protetor solar. Esse é um entendimento errado que, muitas vezes, percebemos nas pessoas. O que muda, apenas, é o fator do protetor a ser utilizado”, afirma o médico.

Na dúvida, caso as pessoas não saibam qual o protetor solar mais adequado para o seu tipo de pele, a recomendação é utilizar no mínimo o fator 30. 

“Mais que 50 é exagero. Exceto se for por orientação de um médico, apenas em alguns casos pontuais”, diz..
Já as crianças, por terem a pele mais sensível,  é preciso usar o protetor, no mínimo, com fator 50. 
“É importante lembrar que protetor não se passa uma vez só, é preciso reaplicar várias aplicações durante o período em que se está exposto ao sol”, diz. Para quem tem a pele mais clara a atenção deve ser redobrada. 

“Quanto mais clara, maior cuidado precisa ser tomado, sim. Porque, nessas pessoas, em especial, uma queimadura de sol pode evoluir para um melanoma [câncer de pele]”, explica Alfredo Salim, médico do Hospital Sírio-Libanês.

Doenças comuns no verão


Micose

  • A doença é causada por fungos e se caracteriza por coceira na região atingida e manchas na pele, brancas ou vermelhas
  • O calor e a umidade no corpo favorecem a proliferação destes fungos, principalmente entre os dedos dos pés.

Bicho geográfico
É uma lesão avermelhada que lembra um mapa. Ela provoca muita coceira na região e é causada por um parasita presente nas fezes de cachorros

Queimaduras

  • A exposição exagerada ao sol pode gerar queimaduras de pele
  • É importante ter cuidado também com frutas cítricas, como o limão

Brotoejas
São Bolinhas de água causadas por suor excessivo, que causam vermelhidão e coceira em rosto, pescoço, ombro, barriga ou peito, principalmente em crianças

Câncer de pele
É causado, principalmente, pela exposição excessiva ao sol. Os sintomas são manchas que coçam ou sangram, sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor e feridas que não cicatrizam em até 4 semanas

Desidratação

  • O calor e a prática de esportes podem fazer com que a pessoa perca mais líquido do que ingeriu
  • Os sintomas mais comuns do problema são: náuseas, pele e boca secas.

Insolação

  • É provocada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor, fazendo com que a temperatura corporal fique muito elevada
  • O corpo perde muita água, sais minerais e outros nutrientes importantes
  • Entre os sintomas estão: dores de cabeça, tontura, náusea, pulso rápido, temperatura elevada, problemas visuais e confusão mental

Hepatite A

  • A doença é contagiosa e pode ser transmitida também por alimentos ou água contaminada (mar poluído, por exemplo)
  • O diagnóstico da doença é realizado por exame de sangue e a doença é curável
  • Algumas formas de prevenção são lavar bem as mãos antes de refeições e cozinhar bem os alimentos

Conjuntivite
No verão, normalmente é adquirida em piscinas e praias impróprias para banho, causando vermelhidão e coceira nos olhos 

Otite
Algumas pessoas sofrem com o entupimento dos ouvidos causado pela água, o que pode provocar a infecção. Por ser quente, escura e úmida, essa parte do corpo inflama com facilidade

Dicas

  • Consuma água, água de coco, sucos de fruta naturais e isotônicos ajudam a manter o corpo hidratado
  • Pratique esportes com moderação para não fadigar o corpo
  • Utilizar protetor solar sempre que estiver exposto ao sol. Bonés e óculos escuros também ajudam na proteção da pele
  • Evite ficar exposto ao sol entre 10h e 14h
  • Seque bem o corpo após os banhos. Trocar biquínis e sungas molhados, algumas vezes ao longo do dia, ajuda a evitar micoses na virilha e nas partes genitais
  • Cuidado com o camarão e afins. Observe atentamente o acondicionamento dos alimentos, principalmente na praia, pode evitar infecções gastrointestinais


Especialista: dermatologista, clínico-geral, gastroenterologista

Fontes: Ministério da Saúde; Arnaldo Lichtenstein, médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP); Alfredo Salim Helito, médico do Sírio-Libanês

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.