PM é preso acusado de roubar ponto de tráfico no interior de SP

Suspeito foi pego quando saía do local com dinheiro, cocaína, crack e maconha

São Paulo

Um policial militar de folga foi preso acusado de ter assaltado um ponto de venda de drogas em Campinas (93 km de SP), na noite de sábado (18).

Ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado ao presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo. A defesa do PM não foi encontrada pela reportagem. 

Viatura da Polícia Militar em São Paulo - Rivaldo Gomes - 20.ago.19/Folhapress

De acordo com a polícia, por volta das 21h30 de sábado, PMs faziam ronda pela rua Papa São Fabião, na Vila Padre Anchieta. Eles viram o um homem correndo de dentro do conjunto habitacional, que, segundo a polícia, é conhecido pela venda de drogas. 

Na cintura do suspeito havia uma pistola calibre .40, pertencente à Polícia Militar. Nas mãos, ele levava um estojo com R$ 647, cocaína, crack e maconha.

Ainda segundo a polícia, o suspeito se apresentou como PM, mas não estava com nenhum documento de identificação. Por isso, acabou desarmado. 

A polícia diz que, inicialmente, o PM disse que tinha ido ao ponto de tráfico pois sua mulher havia sido assaltada, na sexta-feira (17), e o autor do suposto roubo estaria no conjunto habitacional. Porém, após os PMs encontrarem as drogas com o suspeito, ele admitiu o crime, sempre segundo a polícia. 

O PM preso afirmou, segundo depoimento à polícia que passa por dificuldades financeiras e que sua mulher está prestes a dar à luz. Por isso, continuou, resolveu "meter o canhão [a arma da Polícia Militar] na biqueira [local de tráfico]", para conseguir dinheiro e drogas. Ele ainda disse, segundo o boletim de ocorrência, que pretendia roubar outros pontos de vendas de drogas, indicados a ele por um amigo. 

A polícia procurou o amigo do PM. Ele afirmou ter deixado o policial militar de folga na região e, depois, ter ido a um motel com uma mulher. O amigo negou saber que o PM iria roubar traficantes. 

Com PM preso foram encontrados 40 pinos de cocaína, a mesma quantidade de crack, quase 60 gramas de maconha, além da grana do tráfico.

A reportagem apurou que ele mora em Campinas, mas trabalha na capital paulista.

Resposta 

A PM afirmou que o caso foi registrado no 2º DP de Campinas e que o policial permanece preso no presídio Militar Romão Gomes. A Corregedoria da corporação acompanha o caso. 

"A PM reforça que não compactua com desvio de conduta de seus agentes e todos os casos que chegam ao conhecimento da instituição são prontamente investigados e as medidas cabíveis são adotadas", diz trecho de nota.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.