Restaurante fecha no ABC e põe fim à rota do frango com polenta

Florestal encerrou suas atividades na última sexta-feira (3), em São Bernardo; clientes lamentam

São Paulo

A tradicional rota do frango com polenta, em São Bernardo do Campo (ABC), chegou ao fim. Na sexta-feira (3), o restaurante Florestal, último dos três principais que ficavam na avenida Maria Servidei Demarchi, encerrou suas atividades definitivamente. 

A desindustrialização, aliada à crise econômica e queda no número de clientes, estão entre as razões para que o restaurante fechasse ao público. Um dos sócios que eram contrários ao encerramento das atividades, Angelin Nini Demarchi, 81 anos, adiantou ao Agora, em agosto do ano passado, que não garantiria que a última das três unidades que administrava iria resistir até janeiro deste ano.

Funcionário frita o famoso frango no restaurante Florestal, em São Bernardo do Campo (ABC), o último a fechar pondo fim à rota do frango com polenta - Rivaldo Gomes - 2.ago.19/Folhapress


Antes do Florestal, foram fechadas as unidades São Judas, em 2016, e São Francisco, no ano passado. Ambas eram administradas por Demarchi e seus sócios. 

Em entrevista ao Diário do Grande ABC, o empresário afirmou que “estava na hora de parar” as atividades no restaurante. “O pessoal de hoje não curte mais isso. Curte shopping balada e até padaria que faz comida. Então ficou mais difícil, porque o cliente nosso é da velha guarda”, disse.

O salão do Florestal mantinha uma estrutura que recebia apresentações musicais, agregando até cerca de 2.000 pessoas, incluindo grandes nomes da música popular, como o cantor Fábio Júnior, o sertanejo Leonardo e a cantora Wanderléa, um dos ícones da Jovem Guarda, por exemplo. 

Além das apresentações, o local era usado para festas de casamentos e, claro, era disputado, em um passado recente, por famílias que desejavam degustar o frango frito com polenta.

Apesar de simples, o prato era diferente de outros lugares por conta de um segredo de cozinha: o tempero usado no frango.

A reportagem esteve no Florestal neste sábado (4) e viu clientes que encontraram o restaurante fechado.   Muitos nem chegavam a sair do carro. 

No local havia somente um segurança, que afirmou trabalhar para o novo dono do imóvel.

‘Fico triste, pois vivi muitos momentos felizes aqui’

A administradora de empresas Márcia Gorete, 57 anos, passou o Réveillon no Florestal, sem imaginar ser esta a última vez que iria ao restaurante, que frequenta há cerca de 40 anos. 

Ela esqueceu seus óculos no local na festa da virada e, na tarde deste sábado (4), foi ao local para recuperar o objeto. “Fiquei sabendo hoje [sábado] que o Florestal fechou. Fico triste, pois vivi muitos momentos felizes aqui”, afirmou. 

A administradora de empresas Márcia Gorete, 57 anos, que passou o Réveillon no Florestal e voltou ao restaurante neste sábado (4), mas o encontrou fechado - Alfredo Henrique / Folhapress

Márcia acrescentou que comemorou seu aniversário de 21 anos, com toda a família, no restaurante, além de ir ao local há décadas para aproveitar shows e, claro, a comida. “Morreu um espaço para momentos familiares, que tinha boa comida e era agradável para compartilhar com pessoas queridas”, desabafou.

O comerciante Marcelo Faria Gomes, 39 anos, dono de uma padaria que fica a poucos metros do Florestal, contou que frequentava o restaurante desde criança, quando a quantidade de clientes era tamanha que os carros formavam congestionamento na avenida. 

Atualmente, ele almoçava no local com a família todos os domingos. “Além de ter boa comida, o restaurante também atraía muitos turistas, que acabavam consumindo em outros comércios, inclusive na minha padaria, ajudando a girar a economia da região.”

Bandas tinham até garçom exclusivo

O baterista e percussionista Douglas Caldas da Costa, 36 anos, tocou no restaurante Florestal em duas ocasiões. Segundo ele, o que chamava atenção era o respeito e a atenção que os gerentes tinham com os músicos, que contavam até com um garçom exclusivo para os servir.  “O que a gente pedisse para comer e beber, era prontamente atendido”, relembrou.

Ele também lamenta o fechamento do local, que, segundo ele, era uma “referência de grandes eventos”, na região do ABC. “O restaurante vai deixar saudade e vai fazer falta para o mundo da música.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.