Desfile de escolas de samba de SP vai premiar ousadia de bateria; veja o que muda

Lida Independente anunciou mudanças na avaliação do Carnaval no Anhembi neste ano

Fábio Munhoz

A avaliação dos desfiles das escolas de samba de São Paulo terá novos critérios no Carnaval deste ano. As principais mudanças serão aplicadas em quesitos como bateria, fantasia e alegoria.

Também foram definidas alterações na punição às escolas que estourarem o tempo máximo de apresentação.

Carro alegórico da Mancha Verde, escola de samba campeã do Carnaval de 2019 em São Paulo; a partir deste ano, jurados vão avaliar variação de formas e cores - Rivaldo Gomes - 2.mar.19/Folhapress

As novidades, que integram o Manual do Julgador 2020, foram apresentadas nesta quarta-feira (22) pela Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo. A instituição afirma que os jurados já passaram por um treinamento para que estejam aptos a fazer a avaliação, de acordo com as novas regras.

Em relação ao regulamento em geral, a Liga deixou mais branda a punição contra as escolas que ultrapassarem o tempo máximo de desfile —de 65 minutos no Grupo Especial. Até o ano passado, o atraso era penalizado com a perda de um ponto. Cada minuto adicional era punido com a retirada de um décimo. No Carnaval deste ano, a penalidade pelo atraso cairá para três décimos. Quanto aos minutos excedidos continua com a retirada de um décimo para cada um.

Dentre os quesitos da apresentação, a bateria é um dos que sofreu alterações mais importantes. A Liga passa a cobrar dos instrumentistas que executem performances mais ousadas, como paradinhas, bossas e apagões. Em caso de não cumprimento, a escola perde dois décimos. Se a exibição for feita, mas sem a qualidade desejada, a penalidade é de um décimo.

A bateria também terá mudanças no estabelecimento da nota, que partirá de 9,8 (para os outros quesitos, continua partindo de 10). Para chegar à pontuação de 9,9, a escola terá de atender ao critério de performance de oito a 15 compassos. Para alcançar dez, os instrumentistas devem atingir a exigência em pelo menos 16 compassos.

Já as fantasias serão avaliadas conforme as variações de cores, formas e adereços. As agremiações devem enviar à liga, antes do desfile, imagens nítidas das fantasias para que os jurados possam conferir se são iguais às anexadas na pasta.

Para as alegorias, foi criado o subquesito Realização, que avalia se os carros alegóricos contêm variação de formas e cores, além de estarem em proporções corretas.

Os desfiles do Grupo Especial das escolas de samba de São Paulo serão realizados nos dias 21 e 22 de fevereiro no sambódromo do Anhembi, na zona norte.

Principais mudanças

Tempo

  • Como era: perda de um ponto pelo atraso e desconto de 0,1 para cada minuto excedido
  • Como será: perda de 0,3 ponto pelo atraso e desconto de 0,1 por minuto excedido

Bateria

  • Como era: livre para executar o ritmo
  • Como será: deverá apresentar performances como paradinhas, bossas, breques e apagões
     

Fantasias

  • Como era: escola apresentava ilustração à Liga antes do desfile para verificação
  • Como será: cada agremiação tem de apresentar fotos nítidas para checagem da semelhança entre o projeto e o que foi mostrado na avenida
Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.