Prefeitura de São Paulo retoma rodízio de carros com regras mais rígidas

Medida passa a valer a partir da próxima segunda-feira (11) e será válida para fins de semana

São Paulo

O rodízio de carros na cidade de São Paulo voltará a partir da próxima segunda-feira (11) com regras mais rígidas. O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) durante entrevista coletiva, nesta quinta-feira (7), como medida de combate ao novo coronavírus.

A partir de segunda, rodízio será válido para todos os dias da semana, inclusive sábados e domingos, e as restrições para circulação serão válidas para toda a cidade, não apenas para o centro expandido.

Av. Salim Farah Maluf, na zona leste da capital paulista. Cidade voltará a ter rodízio na próxima segunda-feira (11). - Ronny Santos - 28.11.17/Folhapress

Segundo Covas, a medida é necessária para a "redução da taxa de isolamento na cidade. Observamos um aumento da circulação, inclusive com congestionamentos. Infelizmente, o bloqueio de algumas avenidas não surtiu efeito", disse.

O prefeito afirmou que o rodízio melhora a qualidade do ar e que a qualidade do ar interfere em doenças respiratórias. Então, melhorar a qualidade do ar também é uma forma de combater a atual crise.

Segundo o prefeito, o rodízio passa a ser em dias alternados, ou seja, nos dias pares circulam os carros com final da placa par, nos dias ímpares, circulam carros com final da placa ímpar. Isso aumenta a restrição de circulação de carros de 20% para 50%.

Além disso, o horário de proibição para andar com o carro também aumentou. As restrições à circulação serão válidas durante todo o dia, entre a zero hora e às 23h59.

Ficam excluídos do rodízio os mesmos casos que já estavam antes - viaturas policiais e ambulâncias, por exemplo. Além disso, todos os profissionais da saúde também serão liberados do rodízio.

A Secretaria Municipal de Saúde irá enviar para todos os hospitais e unidades de saúde da cidade orientações para que esses profissionais façam o cadastro dos seus veículos. Eles terão dez dias para realizar este procedimento.

Durante este período, mesmo que sejam multados, a taxa será cancelada automaticamente. Depois dos dez dias, caso sejam multados e precisem recorrer, a prefeitura criou uma comissão específica para avaliar o caso dos profissionais de saúde.

As restrições a circulação de caminhões também retornarão, nos mesmos moldes anteriores, com exceção dos veículos de abastecimento ou que transportem itens da área de saúde.

Por conta do retorno do rodízio, a prefeitura afirma que irá colocar mil ônibus a mais nas ruas da capital e deixará outros 600 preparados para um eventual aumento na demanda de passageiros.

A capital paulista é o centro da crise da pandemia do novo coronavírus no Brasil, com 4.300 óbitos entre casos suspeitos e confirmados. Ao todo, a cidade de São Paulo tem 23.187 casos de Covid-19 confirmados e 1910 mortes, até o momento.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.