Anna Carolina Jatobá perde direito ao semiaberto ao ser flagrada em chamada de vídeo

Condenada pela morte de Isabella Nardoni, Anna volta agora a cumprir pena de 26 anos no regime fechado, segundo Administração Penitenciária

São Paulo

Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabella Nardoni, de 5 anos, em março de 2008, perdeu o direito ao regime semiaberto após ser flagrada conversando com os filhos, por meio de uma chamada de vídeo, na penitenciária de Tremembé (147 km de SP), onde cumpre pena, segundo a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), gestão João Doria (PSDB). Alexandre Nardoni, pai de Isabella, também foi condenado pelo assassinato da filha.

A secretaria afirma que Anna “cometeu falta grave”, regredindo por isso ao regime fechado. “Durante atendimento por videoconferência com sua advogada, esta fez uma chamada de celular com familiares da presa, fazendo o contato da reeducanda com parentes, o que é proibido”, diz trecho de nota da pasta.

Anna Carolina Jatobá em carro da polícia a caminho do IML (Instituto Médico Legal) para realizar exames, na capital paulista., logo após ter a prisão decretada pela Justiça - Mastrangelo Reino/Folhapress

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados pelo homicídio triplamente qualificado da criança. Na ocasião, o júri entendeu que Isabella foi asfixiada e jogada do sexto andar do prédio onde o casal morava, na zona norte da capital paulista. Jatobá foi condenada a 26 anos, em regime fechado, pelo crime e Nardoni a 31 anos.

Alexandre começou a cumprir sua pena em regime semiaberto, em abril do ano passado. A decisão foi da juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani, da Vara de Execuções Criminais de Taubaté (140 km de SP).

Sobre o uso de videoconferência em presídios, a SAP ressaltou que o recurso é permitido, desde que usado para contato entre presidiários e oficiais de justiça, juízes, advogados e defensores públicos. “Cada unidade prisional possui no mínimo um computador com webcam e microfone especificamente para esse uso, em sala reservada”, diz trecho de nota.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.