Emoção marca primeiro dia de vacinação contra a Covid-19 em idosos em São Paulo

Prefeitura antecipou início da campanha, que estava marcada para a próxima segunda (8)

São Paulo

Lágrimas, sorrisos e aplausos. Foi nesse clima que começou, nesta sexta-feira (5), a vacinação de idosos acima de 90 anos contra a Covid-19 na cidade de São Paulo. A imunização desse grupo estava prevista para começar na segunda (8), mas foi antecipada após decisão anunciada na noite de quinta (4) pela gestão Bruno Covas (PSDB).

O aposentado Reinaldo Vernice, 90 anos, recebe a vacina contra a Covid-19 na UBS Mooca 1, na zona leste de São Paulo; o idoso chorou após ser imunizado - Rivaldo Gomes/Folhapress

Como a mudança de data foi divulgada já no período da noite, poucos idosos sabiam na manhã desta sexta que já podiam receber a primeira dose do imunizante. Na UBS Mooca 1, cerca de 20 pessoas haviam recebido a vacina até as 8h30, uma hora e meia depois de o posto ter aberto ao público.

A primeira a receber a aplicação foi Lucila Ferrari, 94 anos. Ela ficou sabendo pela televisão sobre a antecipação da campanha. "Dá uma esperança tomar a vacina. É uma preocupação a menos", disse a idosa, que ainda precisa tomar a segunda dose.

O aposentado Reinaldo Vernice, 90 anos, chorou ao receber a injeção, mas garante que não foi de dor. "É muita emoção. Estou desde março do ano passado esperando por esse momento. Estou me sentindo novinho", disse. Seu filho, o empresário Rubens Vernice, 54 anos, filmou o pai sendo vacinado e também foi às lágrimas.

Já Oswaldo Ianelli, 91 anos, soube na manhã desta sexta que a vacinação já havia começado após ler o Agora. Ele também se emocionou com o momento ao lembrar dos transtornos e das mortes provocadas pela pandemia do novo coronavírus. "Que sorte a nossa de poder tomar a vacina. Quero passear, viajar. Quero voltar à vida normal", afirmou.

Outra que não conteve as lágrimas foi a aposentada Ida Ghirelli Barbosa, 92 anos. "Eu estou muito contente. Sempre respeitei a quarentena e a vacina traz um alívio. Mas, mesmo assim, vou continuar usando máscara e tomando os cuidados com a higiene."

A filha dela, Iole Elizabeth Hohl, 65 anos, disse que pretendia levar a mãe para ser vacinada na segunda, em algum dos pontos no modelo drive-thru. "Mas como antecipou, resolvi trazê-la hoje. Foi bom, porque foi rápido e não tinha fila."

Na UBS Jardim Sapopemba, na zona leste, o movimento também foi baixo. Até as 10h30, menos de cinco idosos já haviam passado por lá para receber a primeira dose.

O autônomo José Tranquelino, 69 anos, quis levar o pai, Manuel Tranquelino Sobrinho, 92 anos, para se vacinar já no primeiro dia. Mesmo diante das polêmicas e das disputas políticas envolvendo os imunizantes, José garantiu não ter tido nenhum receio de levar o idoso para participar da campanha. "Nós vimos os próprios profissionais da saúde sendo vacinados. Eles não deixariam aplicar neles se não fosse seguro", opina.

Logo após a aplicação da Coronavac em Manuel, as enfermeiras e técnicas do posto informaram ao filho os efeitos colaterais comuns da vacina, como dor local e dor de cabeça, e orientaram ao paciente que voltasse à UBS caso o idoso sentisse os sintomas por mais de três dias após a injeção.

"Eu também sou idoso, mas infelizmente ainda não posso tomar. Já estou ansioso para quando liberarem para a minha idade", disse João.

Assim como nas outras duas unidades, a UBS Vila Prudente, também na zona leste, tinha movimento tranquilo no início da tarde desta sexta. Funcionários disseram que poucos idosos haviam passado por lá no período da manhã e que não havia filas.

Mesmo assim, para diminuir o tempo de espera, os profissionais orientam aos cidadãos que, antes de se dirigirem ao local de imunização, façam um pré-cadastro no site Vacina Já. A Secretaria de Estado da Saúde, gestão João Doria (PSDB), diz que o preenchimento do formulário não serve como agendamento, mas que possibilita a redução em até 90% do tempo de atendimento no dia da vacinação.

Falhas na comunicação

A antecipação da vacinação pegou de surpresa os funcionários da UBS Mooca 1. Uma das atendentes contou que só ficou sabendo que a imunização começaria nesta sexta ao chegar ao trabalho, pela manhã.

Os trabalhadores também demonstraram não ter familiaridade com o sistema Vacina Já, para pré-cadastro dos pacientes.

Ao apresentar os documentos da mãe, a filha de uma idosa informou à funcionária que havia preenchido o formulário no site. A atendente não sabia exatamente para que servia a ferramenta e disse, erroneamente, que o sistema era do governo federal e que, portanto, não serviria para agilizar o atendimento naquele local.

A Secretaria Municipal da Saúde foi procurada para comentar os problemas, mas não se manifestou até o momento da publicação desta reportagem.

Antecipação da campanha de vacinação de idosos

A antecipação da vacinação de idosos com mais de 90 anos foi divulgada na noite de quinta-feira (4). As vacinas estarão disponíveis em 468 UBSs. Nessa etapa do plano de imunização, também terá início a vacinação domiciliar, para a mesma faixa etária, de pessoas que tiverem restrição de mobilidade.

Devem ser vacinados 32.837 idosos com mais de 90 anos de idade na cidade de São Paulo. O número equivale a 16% dos 206 mil integrantes desse público-alvo em todo o estado. Idosos acima de 85 anos também devem começar a receber as vacinas no dia 11 deste mês, 4 dias antes do previsto, dia 15.

A orientação, dia a prefeitura, é que o idoso a partir de 90 anos vá até a UBS mais próxima de sua residência e apresente o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), a carteira de vacinação e o cartão SUS, se tiver -o documento não é obrigatório."Para evitar aglomerações, a orientação da Secretaria Municipal de Saúde é que os idosos dependentes sejam acompanhados por apenas uma pessoa.

Na segunda-feira (8) além das UBSs, a vacinação também será feita em cinco postos drive-thru, quando o passageiro não sai do carro. Veja aqui onde se vacinar.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.