Peixe se prepara para dura sequência

Alvinegro pegará o líder do Brasileiro três vezes e fará dois clássicos antes da pausa para a Copa América

Luís Marcelo Castro

Em meio a uma maratona de jogos, o Santos voltou a treinar após dois dias de folga. Afinal, o time acusou o cansaço e fez uma de suas piores apresentações do ano no empate com o CSA.

A retomada dos trabalhos, porém, será intensa, já que o Alvinegro Praiano entrará uma outra difícil sequência pela frente.

O atacante Rodrygo, que fará os seus últimos jogos pelo Santos antes de se apresentar ao Real Madrid, em
julho, é orientado por Jorge Sampaoli
O atacante Rodrygo, que fará os seus últimos jogos pelo Santos antes de se apresentar ao Real Madrid, em julho, é orientado por Jorge Sampaoli - Ivan Storti - 26.abr.19/Santos FC

Antes da pausa para a Copa América, a equipe comandada por Jorge Sampaoli encara neste domingo (12) o Vasco, de quem perdeu há duas semanas em São Januário —avançou na Copa do Brasil por ter vencido na Vila Belmiro por 2 a 0.

Depois, o Peixe reencontra o atacante Ricardo Oliveira na série de três confrontos até o final de junho contra o Atlético-MG, líder isolado do Brasileirão —nos dias 15 de maio e 6 e 9 de junho. Serão dois duelos pela Copa do Brasil e outro pelo Nacional.

Ainda neste primeiro semestre, o Santos terá dois clássicos pela frente: Palmeiras, no dia 18, e Corinthians, em 12 de junho. O Internacional, no dia 26 deste mês, e a desgastante viagem até Fortaleza, para encarar o Ceará, em 2 de junho, completam os oito jogos antes do merecido descanso.

Essas partidas também são as últimas oportunidades de a torcida santista ver o jovem Rodrygo em campo, já que o atacante se apresenta ao Real Madrid em julho.

“Espero que a gente possa surpreender. O ano todo vai ser assim. Temos de pontuar o máximo possível nesse começo de campeonato. Vai ser um ano muito difícil”, comentou o meia Jean Mota, que tem jogado com dores no joelho direito. “Algumas coisas me limitam, mas não tem tempo de parar. Temos de ir no sacrifício”.

Após o clássico com o Corinthians, o time da Baixada só volta a campo no meio de julho, contra o Bahia. Tempo suficiente para recuperar o gás e retomar o futebol que surpreendeu o Brasil no início do ano.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.