Santos e Corinthians lutam pela vitória para terem paz

Último jogo antes da pausa para a Copa América será na Vila

Luís André Rosa
São Paulo

O Santos, do DNA ofensivo, e o Corinthians, do DNA defensivo, vão manter seus estilos no clássico que será disputado nesta quarta (12), às 21h30, na Vila Belmiro.

É assim que os arquirrivais correrão atrás dos três pontos —o vencedor poderá curtir sossegado os dias de paralisação do Campeonato Brasileiro por causa da Copa América.

Santista e corintianos se enfrentam nesta quarta-feira na Vila Belmiro para subirem na tabela do Brasileirão
Santista e corintianos se enfrentam nesta quarta-feira na Vila Belmiro para subirem na tabela do Brasileirão - Anderson Lira - 31.mar.19/Brazil Photo Press

Só que, neste Brasileirão, as oscilações de Peixe e Timão custaram um preço muito alto na corrida pelo título, já que o líder Palmeiras faz uma campanha acima da curva.

O Santos é o vice-líder com 17 pontos. Com um jogo a menos, os corintianos têm 12 pontos e estão na décima posição. Os palmeirenses somam 19 pontos, mas podem ir a 22 caso o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) mantenha a vitória sobre o Botafogo.

A dificuldade dos dois times está em transformar a pontaria em gols. Segundo o site de estatísticas Foostats, o Santos, em média, arrisca 14 finalizações por partida. A equipe, porém, só anotou 11 gols no torneio.

Com um ataque que balançou as redes só sete vezes, o Corinthians é o quinto time que menos precisar chutar para conseguir um gol. Em média, o alvinegro paulista dá 8,7 finalizações para comemorar um tento.

Essa volúpia ofensiva é alvo de críticas dos torcedores santistas. A bronca é por causa da vulnerabilidade, o que causou as eliminações nos três mata-matas do semestre —primeira fase da Copa Sul-Americana, semifinal do Campeonato Paulista e oitavas de final da Copa do Brasil.

Pressionado, o técnico Jorge Sampaoli deixou claro que não vai rever as suas ideias. O mesmo vale para Fábio Carille, que não se opõe a deixar a bola mais tempo nos pés do rival.

“É um jogo diferente. O Sampaoli tem sua base e forma de jogar, defendendo com a bola e atacando. Vai ser difícil, mas jogaremos em casa. Na Vila é diferente, será uma boa partida, afirma o santista Soteldo.

“Nossa equipe está evoluindo, e vamos chegar um pouco melhor, com o time mais cascudo, todo o mundo se entendendo”, aposta o corintiano Jadson.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.