Santos bate o Galo e cola na ponta do Brasileirão

Após ser eliminado da Copa do Brasil, Peixe dá o troco

Marcelo Mora
São Paulo

A vice-liderança do Brasileirão, conquistada com uma vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, neste domingo (9), na Vila Belmiro, se transformou em uma espécie de prêmio de consolação para jogadores e torcedores do Peixe, que na última quinta-feira havia sido eliminado da Copa do Brasil justamente pelo Galo mineiro.

Os gols foram marcados por Eduardo Sasha, Jean Mota, de pênalti assinalado com a ajuda do VAR, e Carlos Sánchez; Alerrandro descontou. Com o resultado, a equipe da Baixada chegou aos 17 pontos ganhos, dois a menos do que o líder Verdão. Já o Alvinegro mineiro, antes o vice-líder, caiu para a terceira posição, com 15 pontos somados.

Carlos Sánchez comemora o seu gol, o terceiro do Santos na vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro
Carlos Sánchez comemora o seu gol, o terceiro do Santos na vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro - Reprodução do Twitter @santosfc

Mordidos com a derrota por 2 a 1 no Pacaembu no confronto anterior, o Peixe foi para cima do Galo e com menos de um minuto de bola rolando já deu trabalho a Victor. Jorge cruzou e Jean Lucas chutou da marca do pênalti, obrigando o goleiro do time mineiro a fazer grande defesa. Aos 8min, Marinho soltou uma bomba da intermediária e a bola explodiu na quina da trave de Victor, levantando a torcida na arquibancada.

Em 20 minutos de jogo, foram oito finalizações do Santos e nenhuma dos mineiros. Apesar do amplo domínio na etapa, o gol só saiu aos 38min. Jean Mota bateu falta da intermediária e alçou a bola na área. Mesmo marcado, Eduardo Sasha, na marca do pênalti, desviou de cabeça e a bola entrou no canto rasteiro direito da meta atleticana.

Antes do apito final, o árbitro de vídeo interferiu a favor do Santos. Aos 43min, Marinho cobrou o escanteio, Sasha cabeceou fraco e Victor pegou no meio do gol. Em campo, nem os santistas —e, por isso, não reclamaram— viram a bola bater no braço esticado do lateral Fábio Santos. O jogo prosseguiu normalmente e quando o Atlético-MG se preparava para bater um escanteio, o VAR entrou em ação e confirmou a penalidade máxima, batida e convertida por Jean Mota.

Na segunda etapa, Santos continuou pressionando, e Sasha desperdiçou outra boa chance de ampliar aos 8min. Até então um mero espectador a maior parte do jogo, o goleiro Éverson impediu, cinco minutos depois, com duas grandes defesas, em cabeçada de Ricardo Oliveira e em chute de Geuvânio, que o Galo balançasse a rede. Mas foi vencido, aos 27min, por Alerrandro, que havia acabado de entrar: 2 a 1. Aos 36min, Carlos Sánchez, outro que saiu do banco, conteve o ímpeto dos mineiros com belo gol de falta. Ao menos no Brasileirão, o Peixe segue dando esperanças ao seu torcedor.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.