Tricolor sofre primeira derrota com Diniz

São Paulo joga muito mal no estádio do Mineirão e reabilita o ameaçado Cruzeiro, que não vencia havia nove partidas na temporada

Claudinei Queiroz
São Paulo

Após a vitória sobre o Corinthians, no último domingo, a torcida são-paulina esperava a segunda vitória sob o comando do técnico Fernando Diniz na noite desta quarta-feira (16), no Mineirão, para entrar de vez no G-4 do Brasileirão. Ainda mais enfrentando um rival em crise, amargando a zona de rebaixamento e que não vencia havia nove jogos --5 derrotas e 4 empates. Mas o Tricolor volta para casa com uma frustrante derrota por 1 a 0.

Thiago Neves comemora o gol da vitória do Cruzeiro sobre o São Paulo, no Mineirão
Thiago Neves comemora o gol da vitória do Cruzeiro sobre o São Paulo, no Mineirão - Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C./Divulgação

O gol de cabeça de Thiago Neves, aos 12min do segundo tempo, deu um alívio à torcida mineira, mas a Raposa ainda está na degola, em 18º, com 26 pontos. O Tricolor ficou no quinto lugar, com 43 pontos.
Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Avaí às 16h de domingo, enquanto o Cruzeiro visita o Corinthians às 19h de sábado.

Em um primeiro tempo de baixo nível técnico, o Cruzeiro tentou de todas as maneiras pressionar o São Paulo no seu campo de defesa, aproveitando que o técnico Fernando Diniz impõe saída de jogo com a bola no chão. 

No entanto, apesar de chegar perto do gol de Tiago Volpi, os mineiros esbarraram na afobação ou na displicência e não levaram real perigo ao goleiro.

Já o Tricolor só foi finalizar a primeira vez aos 35min, com Tchê Tchê, mas a bola saiu à esquerda de Fábio.

A equipe de Diniz só consguiu mais uma finalização, aos 46min, em boa jogada de Pato. Mas o atacante chutou fraco em cima do goleiro cruzeirense.

O segundo tempo começou mais elétrico dos dois lados, mas ainda com a Raposa dominando as ações até o gol de Thiago Neves, após cruzamento de Marquinhos Gabriel e falha de Daniel Alves. O camisa 10 chegou na véspera de Singapura, após mais de 20 horas de viagem, e foi escalado para o confronto.

O Tricolor só melhorou um pouco de produção após as entradas de Igor Gomes e Liziero nos lugares de Hernanes e Luan, respectivamente. Vitor Bueno já havia substituído Juanfran no intervalo. Porém, o time passou a dominar o meio de campo, mas sem efetividade em jogadas no ataque.

Com bons toques de bola, a equipe de Diniz ensaiou uma pressão no fim, mas a defesa cruzeirense se fechou e segurou a vitória, para frustração tricolor.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.