Tricolor leva susto, mas derrota a Ferroviária de virada

Triunfo é alcançado com gols de Hernanes e Arboleda

São Paulo

O mando de campo e o estádio eram da Ferroviária, mas foi o São Paulo, com a maioria dos torcedores e domínio total das ações, quem se sentiu à vontade na Arena Fonte Luminosa.

Com esse cenário até que foi pouco a vitória, por 2 a 1, dos tricolores sobre a Ferrinha. Enquanto o visitante subiu para sete pontos e ocupa a liderança isolada do Grupo C, o oponente, com um ponto em três partidas, é o lanterna do D.

Arboleda comemora na vitória do São Paulo sobre a Ferroviária
Após anotar o segundo gol do São Paulo, o zagueiro Arboleda corre para comemorar com os companheiros; Tricolor faz 2 a 1 e vira para cima da Ferroviária - Rubens Chiri/saopaulofc.net

Para entender como a vitória foi por uma diferença mínima tem que botar na conta do atacante Alexandre Pato, que foi o escolhido como substituto do garoto Helinho, vetado por causa de uma contusão no tornozelo esquerdo.

O camisa 7 teve a solidariedade dos companheiros em colocá-lo na cara do gol. Nos dois primeiros lances, afobado, o avante estava em impedimento. No terceiro, o jogador finalizou e tirou do goleiro Saulo. O problema é que acertou o travessão.

A proposta ofensiva de Fernando Diniz, de controle da posse de bola, deu raras alternativas para a Ferroviária incomodar a defesa.

Só que em uma delas, o famoso “não faz toma” entrou em cena. Em um descuido de marcação na área, aos 26min, a bola sobrou para Felipe Ferreira,que emendou para o fundo da meta de Tiago Volpi.

Na experiência de Hernanes, o São Paulo não deixou o desespero tomar conta. O Profeta, aos 30min, fez lance individual na entrada da área, partiu do meio para a esquerda, escapou de dois marcadores e finalizou de rasteiro. O goleiro Saulo até tentou salvar, mas não teve como evitar o empate.

A pressão na etapa final ficou deu resultado logo. Na cobrança de escanteio da direita, aos 5min, Bruno Alves ganhou de cabeça. Saulo defendeu, mas espalmou para o meio da área. No rebote, Arboleda emendou de primeira e virou placar.

Apesar de ter controle total das ações, com posse de bola de até 70% do tempo, os são-paulinos não conseguiram ampliar o placar.

Nos acréscimos, quase que a Ferroviária empata. Felipe Ferreira, aos 49min, deu um chute perigoso, que assustou os são-paulinos.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.