Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Santos e Palmeiras maltratam a bola e a paciência da torcida

O 0 a 0 não mudará nada no Paulista, mas ambos terão de jogar mais bola na Libertadores

São Paulo

Roda, roda e vira, solta a roda e vem, neste raio de suruba, já me passaram a mão na bunda e ainda não comi ninguém... Alô, povão, agora é fé! Santos 0 x 0 Palmeiras foi ruim. Bem pior do que o regular São Paulo 0 x 0 Corinthians e pouca coisa menos ruim do que o medonho Palmeiras 0 x 0 São Paulo.

Nem a arbitragem (que deixou de expulsar Felipe Melo, no primeiro tempo, e não confirmou pênalti para o Palestra, no segundo, por assinalar impedimento inexistente de Roni) escapou da ruindade no Pacaembu.

Felipe Melo, do Palmeiras, disputa a bola com o atacante Yuri Alberto, do Santos, no empate sem gols no Pacaembu
Felipe Melo, do Palmeiras, disputa a bola com o atacante Yuri Alberto, do Santos, no empate sem gols no Pacaembu - Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O jogo? O primeiro tempo, em que o Santos foi, em teoria, pouco coisa menos inferior, a melhor chance veio para o Alviverde. E foi uma “não-chance”, já que Zé Rafael, com Luiz Adriano livre, leve e solto na área, embaçou até carimbar a zaga peixeira e transformou em nada o que poderia ter sido o 1 a 0.

No segundo tempo, foi a vez de o Verdão, que cresceu com Rony e Gabriel Veron nos lugares de Raphael Veiga e Luiz Adriano, ser pouca coisa menos fraco que o Peixe.

Jesualdo Ferreira, que mostrou completo desequilíbrio emocional na entrevista pós-jogo, teve que trocar Felipe Jonathan e Alison , respectivamente, por Luiz Felipe e Jobson por questões clínicas.

Sua culpa foi ter escalado Soteldo, que é quem poderia fazer a diferença na sua, a ponta esquerda, na direita, onde não rende.

O 0 a 0 não mudará nada no Paulistão: o Santos estará nas quartas de final e, venha Ponte Preta ou Água Santa, entrará como favorito a avançar às semifinais. E o Palmeiras, apesar da ótima campanha do Santo André, é o maior candidato para dar a volta olímpica, repetindo o que fez, sob o comando de Luxa, em 1993, 1994, 1996 (o melhor Palmeiras que eu vi) e 2008.

Na Libertadores, no entanto, ambos terão que jogar mais bola.

Machado de Assis: “Esquecer é uma necessidade”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Palpites do Vitão

A goleada sobre o Oeste, com gols e ótimas atuações de Daniel Alves e Pato, ficou meio escondida no sábado de Carnaval e minimizada pela constrangedora debilidade do rival, maior candidato à degola. No entanto, contra a Ponte Preta, o Tricolor tem a chance de assinar a evolução do seu jogo. Palpite: São Paulo 2 x 1 Ponte Preta.

Desalojado da zona de classificação do Grupo D do Campeonato Paulista mesmo após golear o Santo André na supimpa e importantíssima posse de bola, o Corinthians pode virar lanterna de sua chave em caso de vitória da Ferroviária. Mas, dizem, o time está evoluindo! Palpites: Ferroviária 2 x 1 Botafogo e Inter de Limeira 1 x 1 Novorizontino.

Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.