Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: São Paulo passa pela Ponte e avisa que é quadrifinalista!

Único grande a vencer na rodada, Tricolor joga bem e embala

São Paulo

Chega como eu cheguei, pisa como eu pisei no chão que me consagrou... Alô, povão, agora é fé! Único grande a vencer na rodada, o Tricolor embalou e produziu até para conseguir uma vitória mais tranquila.
São Paulo 2 x 1 Ponte Preta, placar modesta e precisamente "antecipado" por Caneladas do Vitão, começou de forma eletrizante. Até por culpa dos erros defensivos, o Tricolor quase abriu o placar na primeira chegada, após o goleiro Ivan errar ao sair jogando.

Na resposta, a Ponte foi à rede com Trevisan, em posição legal, mas o gol foi anulado por suposta interferência do adiantado Bruno Reis. É o típico lance que o juiz faz o que quer e põe na conta da interpretação. Até o encerramento desta edição, nem Raí, nem Lugano, nem ninguém havia dado chilique contra a arbitragem. Nem mesmo para falar do pênalti não dado para o São Paulo, em bloqueio do mesmo Bruno Reis.

Reinaldo comemora o segundo gol do São Paulo sobre a Ponte Preta, no Morumbi, pelo Paulista
Reinaldo comemora o segundo gol do São Paulo sobre a Ponte Preta, no Morumbi, pelo Paulista - Paulo Pinto/saopaulofc.net

Em campo, a Macaca não teve tempo de reclamar. Na sequência do lance, Pato, por cobertura, quase abriu o placar. Mas não ficou no quase. Em seguida, aos 9min, o atacante foi à rede.

E, se ele fizesse gol com a facilidade que perde, poderia ter deixado o Morumbi brigando pela artilharia do Paulistão.

Mas os tentos perdidos por Pato não fizeram falta. E Reinaldo, no ocaso da primeira etapa, acertou um petardo e ampliou.

No segundo tempo, o Tricolor, que continuou melhor após a expulsão do ponte-pretano Yuri, viu a Macaca diminuir com Dawhan após falha de Tiago Volpi e perdeu chances para golear.

O São Paulo estará nas quartas de final do Paulista, provavelmente, com o Mirassol, que é melhor que a Inter de Limeira. Já a Ponte Preta, que hoje estaria fora da zona de classificação, tem de lutar para passar o Água Santa e ser o adversário peixeiro. O terceiro mata-mata, apesar da ótima campanha do invicto Novorizontino, será entre Santo André e Palmeiras. Resta saber se o Corinthians cumprirá a sua obrigação e duelará contra Bragantino, Guarani ou Ferroviária...

Machado de Assis: "De todas as coisas humanas, a única que tem o fim em si mesma é a arte".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Troféus do dia

Canhão - Reinaldo

A lei do ex, sempre implacável, apareceu em grande estilo, no estádio do Morumbi, no pé esquerdo do lateral esquerdo Reinaldo. O gol que acabou definindo a vitória são-paulina por 2 a 1 sobre a Ponte Preta foi uma pintura que mesclou precisão, potência, técnica e efeito. O Tricolor, que jogou para golear a Macaca, mas sofreu pressão no fim da partida, deu um passo gigantesco para ser quadrifinalista do Campeonato Paulista.

Armagedon - Felipe Melo e Fagner

Mais uma vez, o improvisado zagueiro palmeirense Felipe Melo e o lateral direito corinthiano Fagner foram violentos e só não prejudicaram Palmeiras e Corinthians, respectivamente, na rodada porque os árbitros foram camaradas. Equivocadamente, deram apenas cartões amarelos quando ambos mereciam ser expulsos no primeiro tempo, respectivamente, no 0 a 0 do Verdão contra o Santos e no 1 a 1 do Timão com o Santo André.

Destaques da 8ª rodada do Paulistão

Reage, Timão!

Apesar da boa vontade da mídia-tiete travestida de claque, é péssimo o início do treinador Tiago Nunes no Corinthians. Além da eliminação vexatória para o Guaraní-PAR na (pré-pré) Libertadores, fiasco que comprometeu toda a temporada, o Timão faz uma campanha ridícula no Paulistão. Com patéticos 9 pontos conquistados em 24 disputados (aproveitamento de 37,5%), o time divide a lanterna do Grupo D com a Ferroviária após dois terços da fase de grupos. E quem jogou —com a conivência da diretoria— dois meses no lixo com a palhaçada de assumir o time só neste ano não pode reclamar de falta de tempo!

Arte Agora
Arte Agora
Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.