Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Galo aproveita frouxidão tricolor e bica três pontos

Hulk faz uso do latifúndio oferecido pelo São Paulo no Mineirão

São Paulo

Deu meia-noite, o galo já cantou, na igreja bate o sino, é na dança do jongo que eu vou... Alô, povão, agora é fé! Atlético-MG 1 x 0 São Paulo: o Tricolor segue sem vencer e sem nem sequer marcar um gol após três rodadas do Brasileirão.

Dezesseis minutos do primeiro tempo: Hulk, que não é o Maradona versão 1986, recebe no círculo central, ainda atrás do meio-campo. Arranca dosando a aceleração, passa, sem precisar driblar, por três observadores travestidos de defensores são-paulinos e, 54 metros depois (medidos pela TV Globo), aciona Hyoran, que rola para Jair, mais à vontade do que a Pâmela Butt no Carnaval das Brasileirinhas, colocar o Galo em vantagem.

Hulk comandou a incontestável vitória do Galo - Pedro Souza/Atlético

Sem tirar os méritos do incrível Hulk, é inadmissível a defesa tricolor estender o tapete vermelho e, meio assustada, meio admirada, assistir ao desfile do veterano de 34 anos...

Vendo a cena, voltei mais de três décadas no tempo, lembrei as aulas de educação física do primário e do ginásio, nos anos 80, quando sempre tinha na sala um “repetente” (o termo vinha carregado de preconceito e temor) uns dois anos mais velho do que o restante da turma. O “repetente” fazia o que queria e ninguém tomava a bola nem chegava a bota porque ninguém tinha força nem coragem.

Voltando ao gol, mesmo com toda a frouxidão no meio-campo, o tento seria evitado se Miranda enfiasse uma bica na bola e não ficasse só torcendo para o passe de Hyoran não encontrar o pé direito de Jair.
Quando, enfim, desarmou Hulk (com falta ignorada por Daronco), o zagueiro tricolor sentiu uma lesão, e Igor Vinícius o substituiu aos 38 minutos.

No segundo tempo, apesar das trocas no atacado em ambos os lados, praticamente nada aconteceu e o justo 1 a 0 permaneceu no placar do Mineirão.

Se o próprio São Paulo, o Palmeiras, o Grêmio e o Inter largaram mal, o Galo de Hulk e Nacho Fernández mostra que é candidato a desafiar o favoritismo do bicampeão Flamengo.

O cara

Hulk
O super-herói atleticano aproveitou o latifúndio oferecido pelo São Paulo e, com força física, técnica e espírito coletivo, construiu a jogada do gol de Jair, que definiu o placar no Mineirão. Bem coadjuvado por Nacho Fernández, comandou a incontestável vitória do Galo!

Troféus do Vitão

Bem na fita
Inglaterra
 A forma como foi construída a primeira vitória inglesa em uma estreia de Eurocopa (passe do negro Phillips, gol do negro Sterling, 1 a 0 sobre a Croácia), certamente, orgulhou Lewis Hamilton e foi um tapa na cara dos idiotas que vaiaram o gesto antirracista do time inglês de se ajoelhar antes do apito inicial. Os croatas, que emitiram um comunicado dizendo que não fariam o gesto antirracista, já haviam perdido antes mesmo de a bola rolar!

Armagedon
Cepa América
 Como não sou subserviente nem covarde como a selecloroquina de Tite, usemos o espaço que seria destinado à Copa América dos contaminados para registrar que, subnotificações à parte, 487.476 MORRERAM de “gripezinha” no desgovernado país epicentro da pandemia! Tão vergonhoso quanto a CBF e o desgoverno Bolsonaro trazerem o certame para o Brasil é a amarelada conivente de Neymar, Casemiro, Marquinhos... Viva a memória!

Destaques da 3ª rodada do Campeonato Brasileiro de VARtebol*

Tá osso, mano!
O Corinthians de Sylvinho e o Santos de Fernando Diniz começaram o interminável Campeonato Brasileiro de pontozzz corridozzz com o objetivo, ainda que não declarado, de não correr risco de rebaixamento, enquanto o caríssimo Palmeiras de Abel Chilique Ferreira e o São Paulo de Hernán Crespo entraram na competição mirando o título. Restando 35 rodadas, é muito cedo para veredictos, mas, pela amostragem inicial, Peixe e, principalmente, Timão estão mais perto das modestas metas do que Verdão e, especialmente, Tricolor dos pretensiosos propósitos... Em relação à briga pelo título, tá feia a coisa, mano!

Seleção dos melhores da rodada do Brasileirão
Arte Agora
Seleção dos piores da rodada do Brasileirão
Arte Agora

Machado de Assis: “Creia em si, mas não duvide sempre dos outros”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar! E zelar, claro, vem de ZL! É tudo nosso! É nóis na banca! No agora.com.br! E no youtube.com/blogdovitao!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

44 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.