Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Linha de telefone não é transferida

Empresário diz que técnicos foram ao local, mas serviço continua sem funcionar

Havolene Valinhos
São Paulo

O empresário Mario Katayama, 68 anos, da Vila Mascote (zona sul), conta que é assinante de uma linha de telefone fixo da Vivo e que, há três meses, solicitou a mudança de endereço.

Segundo o leitor, a empresa manda técnicos, mas nenhum deles resolveu o problema até o momento. Katayama relata que a mudança será para um local a três quarteirões de distância do antigo endereço.

Mario Katayama reclama da linha da Vivo que não funciona há três meses
Mario Katayama reclama da linha da Vivo que não funciona há três meses - Rubens Cavallari/Folhapress

“São poucos metros entre o endereço antigo e o atual, onde solicito a transferência da linha”, reclama ao Agora.

O leitor conta que entrou em contato com a central de atendimento da operadora inúmeras vezes nos últimos meses e registrou diversos pedidos e reclamações. Porém, ele afirma que a Vivo continua enviando a cobrança do serviço normalmente.

“Quando reclamo, dizem que darão um posicionamento em dez dias úteis, mas nenhuma providência foi tomada”, queixa-se. O empresário afirma ter sido informado também pela central de atendimento de que falta infraestrutura da rua para o condomínio onde deve ocorrer a instalação.

“Cada um diz uma coisa. Os técnicos afirmam que vão relatar as necessidades para a operadora, porém, não fazem isso. Do contrário, essa situação já estaria sanada.”

O empresário conta que paga, em média, R$ 80 de mensalidade pelo telefone fixo e que está pagando a fatura sem poder usar o serviço. “Tenho esse número de telefone há seis anos. Exijo um posicionamento da operadora. É muita falta de respeito”, reclama Katayama.

Vivo
Tel.: 10315

 

Operadora devolverá grana

A Vivo informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que foi gerada ordem para devolução do valor. A operadora diz ainda que tentou falar com o consumidor Mario Katayama em diferentes dias e horários, porém não conseguiu contato com o leitor para prestar os esclarecimentos necessários.

A companhia afirma que está à disposição de seus consumidores por meio da central telefônica 10315 (fixa) e *8486 (móvel), das lojas físicas e do SMS. 

Ao Agora o leitor disse que aguardará o reembolso.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.