Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Fritadeira elétrica parou de funcionar

Leitora afirma que já levou o aparelho para a assistência, mas não adiantou

Havolene Valinhos
São Paulo

A gerente operacional Laura Diogo, 40 anos, de Osasco (Grande SP), conta que adquiriu uma fritadeira Arno Air Fry Super BFRY há seis meses.

Porém, a leitora afirma que, devido a um problema no motor, o equipamento parou de funcionar.

A autorizada levou 30 dias para fazer o conserto e, segundo a leitora, o produto está novamente danificado.

“Está descascando o fundo da bandeja, sendo que utilizei o produto somente três vezes”, queixa-se .

“Estou decepcionada, pois o valor que paguei não foi baixo. Comprei acreditando que a qualidade seria Arno, infelizmente não foi o que aconteceu”, afirma.

Arno: (11) 2060-9777

​Arno envia email para cliente

Até a conclusão desta edição, a Arno ainda não havia se manifestado sobre o assunto da consumidora.

Em novo contato com o Agora, a leitora disse que recebeu um email da fabricante, no qual uma funcionária da empresa solicitou que a fritadeira fosse levada à autorizada e que a cliente informasse a ordem de serviço para dar continuidade à resolução do caso.

“Perguntei o prazo para realizarem o conserto e não me responderam. Será que vou ficar mais um mês sem a panela? Não sei mais a quem recorrer. O que estão fazendo é um desrespeito com o consumidor”, queixa-se novamente à reportagem do Agora.

Foto ilustrativa de uma fritadeira
Foto ilustrativa de uma fritadeira - 25.06.2014 - Davi Ribeiro/Folhapress

Veja outras reclamações

Pernambucanas

A farmacêutica Vânia Paes Almeida, 61 anos, da Barra Funda (zona oeste), conta que fez um cartão das Pernambucanas e pagou a parcela cinco dias antes do vencimento. Porém, desde 18 de abril, tem recebido ligações de cobrança. "Enviei o comprovante e o extrato bancário por email", diz.

Resposta

As Pernambucanas afirmam, por meio de nota, ter explicado à cliente que o pagamento foi processado e ficará evidente na próxima fatura. Em novo contato com o Agora, a leitora confirmou a informação. “Assumiram o erro e pediram desculpas”, disse.

Dr. Consulta

O recepcionista Airton Rai­mundo Nonato, 56 anos, de Campo Limpo (zona sul), conta que perdeu a tarde in­teira de 7 de maio por causa de uma consulta médica. Na ocasião, ele acompa­nhou a filha de 16 anos ao of­talmologista, na unidade do dr.consulta em Taboão da Serra (Grande SP). “Foi a primeira vez com es­sa médica. A consulta estava agendada para 14h24, mas minha filha só foi chamada às 15h18. Saímos  de lá quase 17h”, relata. Após passar pela avaliação, a adolescente precisou fazer dilatação para se submeter a exames. O leitor disse que, por três vezes, foi à mesa da pré-con­sulta perguntar o que estava ocorrendo. “A funcio­nária só prometia verificar. Quando a médica chegou, perguntei a ela sobre o atraso, e ela reconheceu a falha.” Airton afirma que a situação é recor­rente. “Já passei por isso três vezes na mesma unidade do dr.consulta.” Ele afirma ainda que, no agendamento, a informação é de que, se houver atraso do paciente, a consulta é cancelada, sem tolerân­cia.

Resposta

O dr.consulta diz que zela pela qualidade e pela pontualidade de seus atendimentos. Segundo a empresa, a médica em questão teve um imprevisto no dia da consulta da paciente, o que ge­rou um atraso atípico.

Net

O contador Cláudio Rogério Pontedura, 48 anos, da Aclimação (zona sul), diz que aumentaram o valor da fatura da Net. Segundo ele, a mensalidade, que era de R$ 355, passou para R$ 424. “Havia feito um acordo para ter um desconto de R$ 70 no pacote. A validade seria de um ano, mas apenas consideraram três meses”, relata o leitor.

Resposta

A Net diz que entrou em contato com o cliente e solucionou o caso. Ao Agora o consumidor disse que a operadora propôs o desconto de R$ 70 até agosto.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.