Descrição de chapéu INSS

Veja o valor do seu salário com os novos descontos da reforma

Governo está propondo aumentar alíquota de INSS sobre a renda dos trabalhadores

Laíssa Barros
São Paulo

Caso a proposta da reforma da previdência do governo Bolsonaro seja aprovada, as alíquotas das contribuições previdenciárias dos trabalhadores ao INSS serão alteradas. Hoje, os empregados do setor privado recolhem de 8%, 9% ou 11%, dependendo do salário. A nova regra prevê alíquotas que variam de 7,5% a 14%.

Elas incidirão de forma progressiva, como na tabela do Imposto de Renda, ou seja, serão calculadas apenas sobre a parcela de salário que se enquadrar em cada faixa. Hoje, essas alíquotas incidem sobre todo o salário, dependendo do valor.

 
Hoje, os empregados do setor privado recolhem de 8 % a 11 %, dependendo do salário. A nova regra prevê alíquotas que variam de 7,5% a 14%. - Gabriel Cabral/Folhapress

Pela nova regra, a alíquota mais baixa passará de 8% para 7,5% para quem ganha um salário mínimo, hoje em R$ 998. Os que recebem entre esse valor e R$ 2.000 recolherão 9%. Trabalhadores com salário entre R$ 2.000,01 e R$ 3.000 vão pagar 12%. Na parcela de salário que vai de R$ 3.000,01 a R$ 5.839,45, o atual teto do INSS, a alíquota fica em 14%. Os que ganham acima desse teto recolhem até esse limite, como na regra atual. 

Com todas essas alterações, por exemplo, quem ganha R$ 3.000 atualmente se encaixa na alíquota de 11% (faixa 3) e tem R$ 300 descontados de INSS. Já com a nova regra, o trabalhador que recebe o mesmo valor passa para a alíquota de 9,5% (faixa 3) e terá R$ 285,03 retidos pelo INSS. Após isso, ainda será calculado o desconto do IR e, enfim, o trabalhador receberá o salário líquido. 

Veja como será o desconto no salário

Salário (bruto) Com descontos hoje Após a reforma Diferença
           998,00                     918,16             923,15 0,54%
        1.498,00                  1.378,16          1.378,15 0
        1.998,00                  1.818,18          1.833,15 0,82%
        2.498,00                  2.245,49          2.245,53 0
        2.998,00                  2.610,90          2.652,53 1,59%
        3.498,00                  3.001,04          3.026,58 0,85%
        3.998,00                  3.379,29          3.392,08 0,38%
        4.498,00                  3.738,63          3.738,66 0
        4.998,00                  4.083,50          4.071,91 -0,28%
        5.498,00                  4.416,94          4.395,23 -0,49%
        5.998,00                  4.752,21          4.723,07 -0,61%
        6.498,00                  5.114,71          5.085,57 -0,57%
        6.998,00                  5.477,21          5.448,07 -0,53%
        7.498,00                  5.839,71          5.810,57 -0,50%
        7.998,00                  6.202,21          6.173,07 -0,47%
        8.498,00                  6.564,71          6.535,57 -0,44%
        8.998,00                  6.927,21          6.898,07 -0,42%
        9.498,00                  7.289,71          7.260,57 -0,40%
        9.998,00                  7.652,21          7.623,07 -0,38%

FONTE:  Ydileuse Martins, coordenadora da consultoria trabalhista da Sage Brasil
 

Calculadora

Para exemplificar, o INSS criou um site com uma calculadora especial onde os trabalhadores podem consultar qual o desconto do INSS atual e qual será o desconto após a reforma da Previdência.

  • Acesse: servicos.gov.br/calculadora/calcular 
  • Escolha o setor em que você trabalha (privado ou público)
  • Preenche o valor do seu salário atual
  • Compare os descontos de hoje e os que valerão após a reforma 

Servidor público

Já os servidores públicos terão alíquotas de 7,5% a 22%. Hoje, eles recolhem de 8 a 11% sobre todo o salário. Um servidor que ganha hoje R$ 10 mil recolhe R$ 1.100 de INSS dentro da alíquota máxima 11% (faixa única). Com a nova regra, ele seria enquadrado na alíquota 12,85% (faixa 6) e teria R$ 1.285,83 descontados. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.