Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

TIM cancela serviços sem autorização; veja outras queixas

Empresa informou que leitora havia pedido a suspensão do pacote por email

Havolene Valinhos Laíssa Barros

A funcionária pública Cristiane Dias Chelas, 46 anos, do Jardim Aricanduva (zona leste), conta que, em abril, solicitou o aumento de velocidade de sua internet Live TIM, de 35 para 150 Megabytes, além de linha de telefone fixo com ligação ilimitada para todo Brasil. Porém, a leitora afirma que, 15 dias após o pedido, percebeu a ausência de sinal tanto da linha quanto da internet. 

“Entrei em contato com a TIM e, por meio de uma gravação, fui informada de que havia um problema técnico na região onde moro. Foi dito que dentro de oito horas estaria tudo resolvido, o que não ocorreu”, queixa-se.

Leitora conta que havia contratado uma linha de telefone e solicitado aumento de velocidade na internet - Folhapress

A leitora conta que ligou novamente e foi informada de que estava sem sinal porque ela teria solicitado o cancelamento do serviço por email.

Cristiane relata que nunca solicitou o cancelamento dos serviços. “Isso não faz o menor sentido. Tinha acabado de pedir para aumentar a velocidade e assinar uma linha de telefone. É um desrespeito.” 

Internet e fixo voltam a funcionar

A TIM informa que entrou em contato com Cristiane Dias Chelas e esclareceu que o serviço TIM Live foi instalado e está funcionando dentro dos padrões de qualidade. A operadora afirma ainda que foi efetuada a troca de plano. Em novo contato com o Agora, a leitora confirmou a informação.

TIM: *144

Outras reclamações

Bradesco  

O taxista Carlos Henrique Simões da Silva, 37 anos, do Jardim Modelo (zona sul), afirma que financiou um carro em 2015, mas não está conseguindo quitar o valor das parcelas. “Meu faturamento caiu muito e preciso renegociar a dívida, mas o banco não aceita conversar comigo”, conta Silva. 

RESPOSTA 

O Bradesco esclarece que já encaminhou correspondência para o cliente com as devidas explicações sobre o assunto. “Me disseram que, como já fiz uma renegociação, não poderei fazer outra”, disse o taxista. 

Server  

A dona de casa Célia Maria de Sousa, 65 anos, de Guarulhos (Grande SP), reclama que a Server Educação Profissional entra em contato com jovens oferecendo vagas de aprendiz, mas, na verdade, quer vender um curso. “Por telefone me garantiram que era uma vaga para minha neta. Chegando lá, descobrimos que era um curso pago“, diz Célia. 

RESPOSTA

A Server Educação Profissional afirma, por meio de nota, que é uma instituição de ensino profissionalizante e que nunca recebeu queixas dessa natureza. “Procurei e encontrei várias reclamações”, afirmou Célia. 

BMG 

A aposentada Renailde da Silva Raimundo, 68 anos, de Ermelino Matarazzo (zona leste), diz ter recebido um cartão e um depósito do banco BMG sem nunca ter pedido um consignado para a instituição. “Não sei o que fazer, não consegui nenhum contato com o banco para resolver essa situação. Não quero esse dinheiro”, disse.

RESPOSTA 

O BMG afirma, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que o caso foi tratado com a cliente e o cartão foi cancelado, conforme pedido por ela. Em novo contato com o Agora, a aposentada confirmou a resolução do problema. 

Inovar 

"Estou esperando há oito meses parte dos móveis que comprei nas Lojas Inovar. Entregaram pela metade e não montaram nada. Nunca vi nada assim", diz Arthur Ferreira dos Santos, 62 anos. 


RESPOSTA 

As Lojas Inovar esclarecem, por meio de nota, que a montagem completa dos móveis do cliente Arthur Ferreira dos Santos, foi finalizada na semana passada. A loja diz ainda que permanece à disposição do consumidor para prestar quaisquer outros esclarecimentos. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.