Funcionalismo: professores vão à Justiça brigar por atrasados

Docentes da rede estadual querem pagamento de reajuste pelo mérito retroativo a 2016 e 2017

Cristiane Gercina
São Paulo

Os professores da rede estadual de ensino representados pelo CPP (Centro do Professora do Paulista) vão à Justiça para receber a diferença de valores após o reajuste da prova de Valorização pelo Mérito.

Professor com alunas na Escola Estadual Milton da Silva Rodrigues, na zona norte
Professor com alunas na Escola Estadual Milton da Silva Rodrigues, na zona norte - Rivaldo Gomes/Folhapress

O exame garante aos aprovados alta de 10,5% no salário. Neste ano, foram pagos em 5 de julho os salários reajustados para quem passou na prova referente a 2016 e 2017.

Segundo o CPP, o correto seria que os valores fossem retroativos aos anos a que se referem, o que não teria ocorrido. 

Por isso, o sindicato vai ao Judiciário exigir a diferença. Os filiados devem procurar a entidade com cópia da publicação da promoção no “Diário Oficial” e dos holerites de junho e julho.

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação informa que pagou o reajuste de 10,5% retroativo a 2016 e 2017 para 7.116 servidores da rede.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.