Governo libera retirada de até R$ 500 do FGTS a partir de setembro

Grana poderá ser retirada entre setembro e março de 2020; quem tem poupança na Caixa recebe direto

Ana Paula Branco Fernanda Brigatti Cristiane Gercina
São Paulo

O governo Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesta quarta-feira (24) modificações no saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Dentre as medidas estão a liberação de até R$ 500 por conta do fundo, seja ela ativa ou inativa. Se o trabalhador tiver saldo em mais de uma conta, poderá retirar um valor maior.

 
A grana será liberada em setembro e poderá ser retirada até março de 2020. A Caixa Econômica Federal ainda irá divulgar um calendário de pagamentos.

Para o trabalhador com conta-poupança na Caixa, o depósito será automático. Se não quiser o recurso, é necessário informar ao banco para que os valores retornem ao fundo. 

Os pagamentos serão feitos na Caixa, nos correspondentes Caixa Aqui e nas lotéricas. As agências devem abrir aos finais de semana. Com o Cartão Cidadão, o saque poderá ser no caixa eletrônico. Retiradas inferiores a R$ 100 poderão ser realizadas nas lotéricas, com RG e CPF. Quem quiser transferir o dinheiro para outro banco pagará taxa.

Mais da metade dos beneficiados poderá sacar todo o valor que está parado na conta. Ao todo, 96 milhões de brasileiros poderão pegar a grana do fundo. Desse total, 54,7 milhões "vão ter direito a pegar todo o dinheiro", segundo Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica do Ministério da Economia. Isso porque esses brasileiros têm menos de R$ 500 no fundo.

A estimativa do governo é injetar R$ 30 bilhões na economia, R$ 28 bilhões vindos do FGTS e R$ 2 bilhões do PIS/Pasep. Para 2020, o valor adicional previsto para o FGTS é de cerca de R$ 12 bilhões, totalizando R$ 42 bilhões de saques. 

Especialistas recomendam que o trabalhador use esse saque do FGTS para, primeiro, quitar débitos. Até abril, o país já havia registrado mais de 62 milhões de inadimplentes.

Para Maurício de Luca, especialista em ciência contábil, o "FGTS é uma poupança do trabalhador e precisa ser muito bem utilizada". 

"Deve se concentrar em quitar dívidas com juros mais altos, como cheque especial e cartão de crédito. Depois, aplicar em investimentos que rendam mais do que as regras de correção do FGTS", orienta.

GRANA NA MÃO | ENTENDA COMO FUNCIONA

  • O governo federal confirmou nesta quarta (24) a liberação das grana parada nas contas do FGTS dos trabalhadores de todo o país
  • Todo mundo que tem dinheiro no fundo, seja de conta ativa (da empresa atual) ou inativa (de outras empresas), poderá sacar

TIRE DEZ DÚVIDAS SOBRE O SAQUE DOS VALORES

1 - Quanto será liberado?

  • Os trabalhadores terão direito de sacar até R$ 500 por conta
  • Ao todo, há 106 milhões de beneficiados
  • Segundo o governo, desse total, 54,7 milhões vão ter direito de pegar todo o dinheiro
  • Isso ocorre porque mais da metade tem menos de R$ 500 na conta do FGTS

2 - O valor do saque é por conta ou por CPF?

O valor a ser liberado pela Caixa, neste ano, é limitado a R$ 500 por conta, seja ela ativa ou inativa. Isso significa dizer que, se cada cidadão (CPF) tiver mais de uma conta com saldo, ele poderá sacar até R$ 500 de cada uma delas

3 - Quando poderei sacar?

  • Os valores devem estar disponíveis a partir de setembro deste ano
  • O pagamento será até março, conforme cronograma estabelecido pela Caixa Econômica Federal
  • O calendário de liberação dos valores ainda não saiu

4 - Como sei se tenho direito?
A consulta ao saldo pode ser feita:

Pessoalmente
O trabalhador pode ir em qualquer agência da Caixa, com CPF e PIS

Pela internet
No site www.fgts.gov.br, após fazer um cadastro, é possível consultar os valores

  • Também dá para saber os dados por carta ou SMS
  • Para mais informações basta ligar para 0800-7260207

5 - A grana cai na conta ou tenho que ir ao banco retirar?

  • Se o trabalhador tiver conta-poupança na Caixa, o valor será depositado automaticamente
  • Caso não queira recebê-lo, é necessário ir até a Caixa para que a grana retorne à conta do FGTS

6 - Onde podem ser feitos os saques?

  • Nas agências da Caixa, nos correspondentes Caixa Aqui e nas lotéricas
  • Para quem tem Cartão Cidadão, o saque pode ser feito nos caixas eletrônicos
  • Valores inferiores a R$ 100 poderão ser retirados nas lotéricas, com RG e CPF

7 - Que documentos levar?
É preciso estar com CPF, RG e carteira de trabalho

8 - Só posso sacar o dinheiro agora?
Não. O FGTS pode ser retirado em várias ocasiões. Entre elas:

  • Demissão sem justa causa
  • Aposentadoria
  • Doença grave
  • Compra da casa própria

Haverá ainda uma nova modalidade, chamada de saque-aniversário

9 - E se o saldo do meu FGTS estiver zerado?

  • Caso perceba que o depósito não está sendo feito pelo patrão, o trabalhador deve procurar a DRT (Delegacia Regional do Trabalho) para fazer uma denúncia
  • Também é possível ir à Justiça do Trabalho brigar pelos depósitos dos valores

10 - Quanto rende o dinheiro depositado no FGTS?

  • Criado em 1966, o FGTS é uma espécie de poupança do trabalhador
  • Nele, o patrão deposita 8% do salário mensal do profissional
  • Hoje, o fundo tem o saldo corrigido pela TR (Taxa Referencial) mais 3% de juros ao ano
  • Como a TR segue zerada desde setembro de 2017, na prática, o saldo está rendendo pouco

PROGRAMA $AQUE CERTO

  • O governo vai liberar a grana do FGTS com intenção de movimentar a economia
  • Além do dinheiro do fundo, também será possível sacar o PIS/Pasep


Projeções do Ministério da Economia com as medidas

2,57% é o percentual previsto de aumento da produtividade do trabalhador brasileiro

3 milhões de empregos deverão ser gerados em dez anos em razão das medidas

R$ 11,3 bilhões é a previsão de expansão da arrecadação do FGTS, em dez anos

Fontes: Caixa Econômica Federal, Ministério da Economia e reportagem

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.