Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitor quer mais vagas para idosos em estacionamento na Mooca

Aposentado diz que há falhas em local público; veja outras reclamações

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

O aposentado Adilson Simões, 80 anos, da Mooca (zona leste), reclama que um estacionamento público aberto há pouco tempo em seu bairro não distribuiu corretamente as vagas para os carros. 

“São 43 vagas em um estacionamento na rua Sebastião Preto, mas só reservaram uma única vaga para idoso e outra para cadeirante. Isso não pode estar correto. Não é nem um pouco justo”, reclama.

O leitor, que diz não conhecer muito sobre regras de trânsito e nem o Estatuto do Idoso, afirma não estar surpreso com o número de vagas disponíveis para motoristas da terceira idade.

“Não sei muito sobre leis, mas sei que nós, idosos, estamos sempre sendo desrespeitados, principalmente pelo poder público. De todas essas mais de 40 vagas, só disponibilizaram uma para idosos e outra para cadeirantes”, afirma o aposentado ao Agora. 

“Resolvi pedir ajuda ao Defesa do Cidadão para mostrar que situações como essa são mais comuns do que imaginamos. Espero que eu seja ouvido e algo  mude”, diz Simões. 

"Só reservaram uma única vaga para idoso. Isso não pode estar correto", diz o leitor Adilson Simões - Douglas Cometti/Folhapress

CET diz que vai implantar mais uma vaga

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informa, em nota enviada pela assessoria, que elaborou um projeto de sinalização para implantação de mais uma vaga de idoso no local.
A empresa esclarece ainda que segue as resoluções do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e que a implantação do projeto será priorizada pelo órgão.

Veja outras reclamações

Vivo 

O agricultor Benedito Antônio da Silva Andrade, 52 anos, de Embu-Guaçu (Grande SP), reclama que seu celular da Vivo não tem sinal na região onde mora. “Toda vez que reclamo com a operadora, eles dizem que vão averiguar o caso, mas nunca resolvem nada. Isso é um absurdo. Preciso do sinal e pago pelo plano de celular da Vivo”, queixa-se Andrade. 


Resposta

A Vivo informa que a dificuldade já foi solucionada. A empresa diz ainda que o cliente será ressarcido com crédito em conta telefônica com valor correspondente ao período em que o serviço apresentou problema.


TIM 

O aposentado Lourenço dos Santos Rosa Neto, 69 anos, da Vila Ré (zona leste), afirma que recarregou R$ 150 de créditos da operadora, viajou para outro país, retirou o chip do celular e quando voltou para o Brasil, os R$ 150 tinham sumido. “Quero meu dinheiro de volta”, diz.


Resposta 

A TIM informa que esclareceu ao leitor que ele possui um plano válido apenas no Brasil, sendo necessário entrar em contato com a central de atendimento para ativação do roaming internacional. Desta forma, os créditos inseridos estavam sendo utilizados na renovação deste plano.

PicPay 

O corretor Edilson dos Santos Santana, 43 anos, de Santos (56 km de SP), conta que tentou usar o aplicativo PicPay para efetuar um pagamento, mas a operação foi cancelada. “Mesmo assim, eles retiraram R$ 1.704,96 da minha conta. Falei com meu banco e disseram que não houve cancelamento nenhum. Ou seja, meu dinheiro está com a PicPay”, diz o corretor. 


Resposta 

A PicPay informa, em nota enviada por assessoria de imprensa, que fez o estorno do valor e enviou o comprovante de cancelamento da operação ao leitor. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.