Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Consumidor pede estorno para banco

Comerciante diz que digitou um número errado e o depósito de R$ 1.000 foi para a conta-corrente de outro cliente do Bradesco

Everton Menezes
São Paulo

O comerciante Eduardo Guereschi de Souza, 43 anos, do Itaim Paulista (zona leste), estava acostumado a fazer transações bancárias pelo aplicativo do Bradesco. Porém, no último dia 29, ao fazer uma transferência no valor de R$ 1.000, errou um único número da conta-corrente do destinatário e viu o dinheiro ir para uma conta desconhecida. 

O comerciante Eduardo Guereschi de Souza, 43 anos, afirma que o banco informou que identificou a conta em que caiu o valor, mas não resolve caso
O comerciante Eduardo Guereschi de Souza, 43 anos, afirma que o banco informou que identificou a conta em que caiu o valor, mas não resolve caso - Martha Salomão/Folhapress

“Aprovei a transação bancária, dei um clique e, de repente, observei que havia um outro beneficiário. Entrei em desespero”, conta o leitor, que percebeu o erro tarde demais. 

Guereschi procurou o gerente da conta no mesmo dia para recuperar o dinheiro, em vão. Foram dias à espera de uma resposta até descobrir que a destinatária já havia sacado o valor da conta. “Falei com outros gerentes, com teleatendimento, fiz de tudo. Mas o Bradesco não fez nada por mim”, queixa-se o comerciante à reportagem.

Souza solicitou à instituição financeira a identificação da beneficiária, mas teve o pedido negado por cláusulas confidenciais. 

Segundo ele, um funcionário teria dito que o possível estorno só dependeria da boa vontade de quem recebeu a quantia. “Perder R$ 1.000 é terrível. Faz muita falta para gente. Eu preciso desse dinheiro. Não sei mais a quem recorrer. Todo mundo erra. O banco deveria ter algum tipo de procedimento para que essa pessoa devolva o dinheiro e essa situação seja resolvida.” 

Bradesco: (11) 4002-0022

Bradesco analisa situação

O Bradesco informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que está apurando as informações para a finalização do caso. 

O banco diz ainda estar à disposição do consumidor para prestar quaisquer outros esclarecimentos.

Em novo contato com o Agora, o leitor disse que aguarda uma resposta do Bradesco. “Ninguém me ligou para dar uma satisfação. Poderiam ter bloqueado o dinheiro, pois eu avisei na mesma hora. É um descaso”, queixa-se.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.