Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitor diz que pagou parcela do IPTU em dobro e quer devolução

Prefeitura afirma que há ressarcimento; veja outras queixas

O aposentado Shiro Ishihara, 69 anos, do bairro da Liberdade (região central), conta que, por um equívoco, pagou em duplicidade uma das parcelas de seu IPTU. Ele diz que agora não sabe o que fazer para ter o dinheiro de volta. 

“Pensei que o sistema de cobrança do IPTU da Prefeitura de São Paulo entenderia que paguei duas vezes e não cobraria a próxima fatura, como uma compensação, mas não foi o que aconteceu. Fui cobrado normalmente, mas não acho justo. Gostaria de ser ressarcido”, diz o aposentado. 

Ishihara afirma que tentou contato com a prefeitura pelo 156, mas nunca conseguiu resolver o problema. 
“Cada atendente fala uma coisa e ao fim do atendimento não chegam a nenhuma resposta definitiva para o meu caso. Como eles só informam esse número para as questões relacionadas ao IPTU, fiquei sem um canal de comunicação de fato, já que de lá não tive nenhum tipo de ajuda para a minha dúvida”, conta o leitor ao Agora. 

Gabriel Cabral/Folhapress

Prefeitura afirma que há ressarcimento

A Prefeitura de São Paulo afirma que, em caso de pagamento em duplicidade, os valores pagos indevidamente ficam disponíveis para ressarcimento pelo Sistema Devolução Automática de Tributos, no site servicodevolucao.prefeitura.sp.gov.br. Porém, cabe ao contribuinte realizar o pagamento da parcela em aberto.

Outras reclamações 

TIM  

O engenheiro civil Antonio Benedito Gonçalves, 69 anos, do Butantã (zona oeste), diz que tem um plano pré-pago da TIM e recebeu uma cobrança indevida da operadora na fatura de seu cartão de crédito, no valor de R$ 99,99. “Quero cancelar esse débito, mas não estou conseguindo. Entrei em contato com a TIM, mas não obtive sucesso.”


Resposta 

A TIM informa que o caso do cliente Antonio Gonçalves foi solucionado. A operadora diz ainda estar à disposição por meio do site www.tim.com.br ou discando *144 do próprio celular ou 1056 de qualquer telefone.


Banco Cetelem 

A coordenadora comercial Daniele Artemin Dias, 31 anos, do Jardim Piratininga (zona leste), afirma que não tem recebido a fatura de seu cartão de crédito Cetelem em sua residência. “Em dezembro não a enviaram. Pois bem, recebi neste mês cobrando encargos, multa, impostos, pouco mais R$ 40 para uma fatura que era R$ 167, ou seja, 24% do total. Está difícil. Tenho que ficar correndo atrás deles toda vez para pagar a fatura”, queixa-se à reportagem. 


Resposta 

Até a conclusão desta edição o Banco Cetelem ainda não havia se manifestado sobre o assunto.

Pernambucanas 

O estudante de medicina veterinária Robson Passuello, 42 anos, de São Caetano do Sul (ABC), conta que está tendo problemas com o pagamento de sua fatura da empresa. “Paguei pelo aplicativo a mensalidade, mas fui informado de que o sistema não aceitou o pagamento”, diz o leitor. 


Resposta

As Pernambucanas informam que tentaram entrar em contato com o cliente para orientá-lo sobre a negociação da fatura, sem sucesso. A empresa solicita que o leitor entre em contato pelo telefone.

Carrefour

Há um mês, comprei no site do Carrefour um fogão, com prazo de entrega de 16 dias úteis. Mesmo com o prazo ampliado, a empresa não cumpriu com o prometido e nem sequer deu a mínima satisfação sobre o meu produto. Nunca mais compro nada no Carrefour. Haja desrespeito com o consumidor! 
Marcelo Campos, de Diadema (ABC) 


Resposta

Até a conclusão desta edição o Carrefour não havia se manifestado sobre o caso. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.