Caixa amplia por mais dois meses prazo para adiar prestação da casa própria

Período inicial era de 120 dias; solicitações podem ser feitas a partir da próxima segunda (27)

São Paulo

A Caixa Econômica Federal ampliou o prazo para que o cliente possa fazer uma pausa nas prestações da casa própria. Agora, o mutuário poderá ficar por até 180 dias sem pagar a prestação. Antes, eram 120 dias.

Os pedidos para fazer a pausa no pagamento podem ser feito a partir da próxima segunda-feira (27) e valem para prestações dos financiamentos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida (faixas 1, 5, 2 e 3) e do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos).

O banco já havia permitido, no início da pandemia do novo coronavírus, a pausa temporária por até quatro meses. Agora, com o prazo prorrogado por mais 60 dias, quem ainda não optou por essa alternativa também poderá solicitar a parada total na cobrança das parcelas de seis meses, diz a Caixa.

Vale ressaltar que a interrupção não implica na isenção das parcelas. Terminado esse período em que o mutuário faz a pausa nos pagamentos, os encargos serão incorporados ao saldo devedor do contrato.

Com isso, o valor que não foi pago no período será diluído no prazo final do financiamento, gerando uma nova parcela de prestação, de acordo com as condições do contrato original, não havendo alteração da taxa de juros, explica a Caixa.

Portanto, após a pausa, o mutuário terá uma prestação um pouco mais alta do que aquela que ele pagaria inicialmente, já que o saldo devedor sofre um aumento e o prazo de pagamento se mantém.

Prazo para empresas

Para as empresas, a opção de pausa é válida para os financiamentos de imóveis em empreendimentos que ainda estão sendo construídos e também para os financiamentos de aquisição e construção de imóveis comerciais (modalidade individual).

As opções de pagamento parcial dos encargos ou carência também serão estendidas para até 180 dias, porém não poderão ser utilizadas em conjunto com a pausa.

Durante o período de interrupção, a Caixa explica que o contrato não está isento da incidência de juros remuneratórios, seguros e taxas.

Os valores das prestações pausadas são acrescidas ao saldo devedor do contrato e diluídos no prazo que ainda falta no financiamento. A taxa de juros e o prazo contratados inicialmente não sofrem alteração.

Quem pode solicitar

  • Clientes pessoa física com contratos em dia ou com até 180 dias em atraso (clientes que utilizaram o FGTS para reduzir uma parte da prestação também podem optar pela pausa)
  • Clientes pessoa jurídica com contratos em dia ou com atraso de até 60 dias (duas prestações)

Como solicitar

Clientes pessoa física

  • Pelo aplicativo Habitação Caixa
  • Pelos telefones: 3004-1105, 0800-7260505, 0800-7268068; escolha as opções 2 – 4 – 2

Clientes pessoa jurídica

  • Pelo telefone 0800-7268068; escolha as opções 2 – 4
  • Para contratos de financiamento de empreendimentos em produção, a solicitação pode ser realizada somente por meio do gerente de relacionamento, que deve ser acionado preferencialmente por meio eletrônico

Canais de atendimento:

  • App Habitação Caixa: disponível para os sistemas operacionais Android e IOS; pode ser baixado gratuitamente nas lojas GooglePlay ou AppStore
  • 3004-1105 e 0800 726 0505, opção 7: disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h
  • 0800 726 8068, opções 2 – 4: disponível de segunda a sexta-feira, em qualquer horário, e aos sábados, de 10h às 16h

Quantos já foram beneficiados

Até o momento, informa a Caixa, mais de 2,4 milhões de mutuários já solicitaram a pausa na prestação habitacional.

O banco afirma ter registrada mais de 2,1 milhões de solicitações pelo aplicativo Habitação Caixa, além de cerca de 170 mil atendimentos pelo telesserviço.

Veja quando vale a pena adiar

1 - Para quem perdeu o emprego ou teve redução salarial

  • O profissional desempregado, que teve redução de jornada e salário ou com o contrato de trabalho suspenso pode se organizar se conseguir adiar as parcelas
  • Ao voltar a receber o seu salário normalmente ou se arranjar um emprego, poderá retomar seu financiamento

2 - Não estiver conseguindo arcar com as contas básicas e for se endividar

  • Endividar-se para pagar outra dívida não é um bom negócio, ainda mais se há possibilidade de adiamento
  • É importante refazer as contas enquanto recorre a essa pausa no financiamento imobiliário

Situações em que não compensa

1 - Caso consiga pagar é melhor, pois essa pausa custará, na prática

  • Muitos cidadãos acreditam ser melhor adiar as contas, mesmo com o dinheiro em caixa
  • Essa opção não compensa, pois, ao passar os meses de pausa no financiamento, será preciso pagar o que deve ao banco

2 - A suspensão das cobranças torna o financiamento mais caro

  • Suspender o pagamento faz com que, lá na frente, haja mais parcelas para pagar
  • Quanto mais tempo de financiamento tiver, maior sairá a conta final do empréstimo

Fonte: Caixa Econômica Federal

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.