Caixa inclui custos de cartório no financiamento da casa própria

Novos compradores podem optar a partir desta quinta (2)

São Paulo

A Caixa Econômica Federal, responsável por 70% do crédito imobiliário do país, anunciou nesta quinta (2) novas medidas para a compra da casa própria. Entre as novidades está a inclusão dos custos dos cartórios e ITBI, que é o imposto pago na prefeitura para transferência do imóvel, a escritura e registro do imóvel no cartório de registro civil, no financiamento habitacional. A escolha já pode ser feita a partir de hoje.

Em média, o valor do ITBI pode chegar a 5% do valor total do imóvel. O banco estima impacto de R$ 2,5 bilhões de alívio para os novos compradores neste segundo semestre.

A partir de segunda-feira (13), o registro de imóvel será feito de forma eletrônica por 1.356 cartórios em 14 estados, evitando a ida das partes interessadas aos locais.

Para as construtoras também foram anunciadas medidas de alívio, como a utilização de recursos de repasses no pagamento de encargos dos empreendimentos e a flexibilização de exigências e de comercialização.

De acordo com a Caixa, em 2020, 813 mil famílias conseguiram o financiamento pelo banco, com mais de 2.000 contratos assinados por dia. Só em junho, o melhor mês do ano, foram R$ 11,1 bilhões de contratos para 55 mil famílias.

Pausa nas prestações

Para tentar amenizar o impacto financeiro da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, a Caixa oferece ao cliente adiar por até quatro meses (120 dias) as prestações do financiamento habitacional. Até o momento, segundo o banco, 2,4 milhões de pessoas pediram essa pausa, pelo APP Habitação ou o 0800-7260505.

Ao fim do período de pausa nos pagamentos, os encargos serão incorporados ao saldo devedor do contrato. Com isso, o valor que não foi pago neste período será diluído no prazo final do financiamento, gerando uma nova parcela de prestação, de acordo com as condições do contrato original, não havendo alteração da taxa de juros, de acordo com o banco estatal.

O prazo de 6 meses de carência nas prestações de novos contratos habitacionais, anunciado em abril pela Caixa, já atendeu 26 mil clientes até o momento. A medida, que beneficia pessoas físicas, permite que a primeira prestação seja paga após seis meses do contrato.​

Financiamento imobiliário da Caixa | Como adiar o pagamento

  • Os cidadãos com contrato imobiliário na Caixa Econômica Federal podem adiar a parcela do financiamento
  • A regra passou a valer após a pandemia do coronavírus no país

É possível adiar o pagamento de até:

  • 4 prestações, para o mutuário que está com o financiamento imobiliário em dia
  • 2 prestações, para quem está com o pagamento do contrato em atraso

O que fazer para conseguir o adiamento:

  • O pedido pode ser feito por meio do aplicativo Habitação Caixa
  • Também é possível fazer a solicitação por telefone; o número é 3004-1105 para capitais ou 0800-7260505 para demais cidades
  • Escolha a opção 7
  • A negociação está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h

Para os contratos com atrasos entre 61 e 180 dias

  • Também é possível negociar a pausa no pagamento
  • Neste caso, o contato pode ser feito pelo aplicativo e por telefone, no 0800-7268068
Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.