Descrição de chapéu Zona Leste Zona Norte

Gestão Covas tapa somente 10% dos buracos prometidos

Gestão Covas descumpre promessa de atender pedidos pendentes em 40 dias

Regiane Soares William Cardoso
São Paulo

Passados os 40 dias da promessa da Prefeitura de São Paulo de zerar as demandas pendentes de tapa-buraco, a gestão Bruno Covas (PSDB) só atendeu um em cada dez chamados no 156 nos três primeiros meses deste ano.

Buraco na rua Jean Meier, na Cidade Líder, região da Subprefeitura de Itaquera (zona leste) - Rivaldo Gomes/Folhapress

Segundo levantamento feito pela reportagem a partir do relatório da própria prefeitura, atualizado em 6 de maio, 60,5% dos pedidos de tapa-buraco continuam abertos; 28,2% foram indeferidos; 0,6%, cancelados; e apenas 10,7% foram finalizados. No período, foram feitas 41,3 mil solicitações pela central SP156, por telefone, internet ou aplicativo entre 1º de janeiro e 31 de março de 2019.

A promessa de zerar os pedidos de tapa-buraco foi feita pela gestão Covas em 4 de abril, durante o anúncio do programa Mutirão nos Bairros. Na ocasião, a prefeitura tinha 38 mil buracos nas ruas da capital.

Na ocasião, o secretário municipal de Governo, Mauro Ricardo, disse que a grana para zeladoria seria triplicada, passando dos R$ 500 mil gastos em 2018, para R$ 1,5 bilhão, neste ano.

Porém, várias ruas da capital ainda têm buracos, apesar das solicitações feita pelos moradores.

A Subprefeitura da Casa Verde-Cachoeirinha, na zona norte da capital, é a que mais tem pedidos de tapa-buraco em aberto aguardando atendimento. Segundo dados da prefeitura, 95,7% dos 1.434 pedidos feitos entre janeiro e março ainda aguardam atendimento da prefeitura.

O buraco da avenida Deputado Emílio Carlos, na altura do número 111, no Limão, foi um dos poucos solucionados pela prefeitura.

O comerciante Diogo Martins de Abreu, 55 anos, disse que o serviço foi feito há 15 dias, mas demorou mais de um mês para ser feito. "O pior é que eles arrumam e depois de um tempo o buraco volta. Esse buraco é antigo e faz sucesso", afirmou ele, ao lembrar que o local onde fica o defeito é próximo de um ponto de ônibus e atrapalha o tráfego de veículos.

Itaquera

A Subprefeitura de Itaquera, na zona leste da capital, é a terceira que mais tem pedidos de tapa-buraco aguardando realização do serviço, segundo dados da SP156, quase 91% das solicitações feitas pelos moradores entre janeiro e março deste ano ainda não foram atendidas.

Alguns deles ficam na rua Jean Meier, próximo ao número 133, em Cidade Líder. São ao menos quatro buracos, uns próximos dos outros. Em dois deles colocaram entulho para diminuir o impacto nos carros.

Porém, segundo moradores da rua, muitos motoristas são pegos de surpresa.

"Esses buracos estão aí há muito mais de dois meses e os motoristas não conseguem desviar e passam por cima, fazendo um barulhão. Isso acontece direto. Muitos motoristas reclamam desses buracos", disse o aposentado Luiz da Silva, 89 anos.

Resposta

A Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), disse que o serviço de tapa-buraco foi reduzido depois da desativação da usina de asfalto, em janeiro deste ano, devido a um acordo com o Ministério Público. A usina chegou a produzir mil toneladas de massa asfáltica por dia.

Segundo a prefeitura, a operação tapa-buraco começou em 8 de abril e um balanço será divulgado após o término do prazo de 40 dias.

Porém, o programa Mutirão nos Bairros, no qual se comprometeu a zerar os buracos, foi anunciado em 3 de abril, conforme reportagem do Agora no dia seguinte.

Em nota, a prefeitura disse que as ações estão sendo realizadas em todas as regiões por 80 equipes. Sobre os buracos na rua Jean Meier, em Itaquera, a prefeitura disse que a via está na programação para receber o serviço de tapa-buraco até o fim do mês.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.