Descrição de chapéu Zona Leste

Estouro de cano com cloro da piscina fecha o parque Ceret, em SP

Produto químico se dispersou em forma de gás, segundo o Corpo de Bombeiros

Mariangela de Castro
São Paulo

O parque Ceret, no Jardim Anália Franco (zona leste), conhecido por ter a maior piscina da América Latina, amanheceu fechado nesta quinta-feira (8). Isso porque, por volta da meia-noite, um cano que leva cloro até a piscina do parque estourou, fazendo com que o produto altamente tóxico se disseminasse em forma gasosa pelo local.

Portão do Ceret amanheceu fechado nesta quinta-feira por causa de vazamento de cloro - Rivaldo Gomes/Folhapress


“Este produto precisa ser removido com a maior segurança possível, tivemos de atuar com bastante calma e sem intervenção direta, com roupas especiais. Foram horas e horas de trabalho”, comenta o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros.
 

O capitão também diz que quando o cloro interage com a água são formadas “nuvens contaminantes”. A inalação deste vapor pode provocar inflamações no sistema respiratório e até uma parada cardíaca. Por volta das 16h desta quinta-feira, ainda havia cloro para ser retirado do local.
 

“O vapor do cloro com a água também pode causar queimaduras sérias e fazer com que a pessoa pare de respirar. O risco de contaminação é realmente muito grande”, pontua Palombo.
 

Para o psicólogo clínico Domenico Ban, 35 anos, que frequenta o parque duas vezes por semana, a situação mostra um sucateamento do serviço público. “Quando eu cheguei não entendi o que estava acontecendo. O pior foi a falta de aviso, eu cheguei e vi apenas os portões fechados, sem nenhum comunicado, nenhuma informação prévia. Para mim, isso é uma falta de atenção muito grande”, diz.
 

O parque é frequentado diariamente pela população da cidade, seja para realizar atividades físicas, utilizar a piscina ou descansar. O vendedor Luiz Santiago, 19 anos, mora em Santana (zona norte) mas foi até o parque com mais três amigos nesta quinta-feira, para jogar tênis.
 

Ele acredita que a falta de aviso prévio atrapalha o planejamento das pessoas. “Foi muito chato, a gente chegou lá e não tinha ninguém para dar uma informação, explicar quando o parque iria reabrir, qual era o problema. Essa falta de informação é antiprofissional, não foi um bom tratamento. Teve muita gente que mudou a rotina só para estar lá hoje”, diz.

A piscina do parque mede 100 m por 50 m. Segundo a prefeitura, são utilizados 1.800 kg de cloro por mês.

A Secretaria de Esportes e Lazer, gestão Bruno Covas (PSDB), disse que o Ceret foi reaberto ao público às 12h05. “A causa do vazamento será apurada pela empresa responsável”.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.