Moradores reclamam de novo ponto de serviço para usuários de drogas em SP

Prefeitura muda atendimento que estava na República para o bairro do Pari

Mariangela de Castro
São Paulo

Moradores da região do Pari (região central de SP) reclamam da transferência do serviço Atende (Atendimento Diário Emergencial), para a rua Porto Seguro, em frente ao Shopping D, próximo às estações Tietê e Armênia da linha 1-azul do metrô.

Antes, o posto para usuários de drogas ficava localizado na rua dos Gusmões, na República, a cerca de dois quilômetros 

A advogada e ativista social Joana D'Arc Figueira chegou a organizar um abaixo-assinado para impedir a transferência do serviço. No entanto, contra 11.965 assinaturas, o Atende começou a funcionar nesta segunda-feira (12). 

"Nós nos preocupamos com os moradores, comerciantes e estudantes da região. Temos medo do bairro ficar mais perigoso e desvalorizado. Não queremos que seja mais um serviço jogado e sem fiscalização", diz Figueira. 

Em conversas com a prefeitura, a ativista apresentou um "projeto de mitigação de danos", relata. Nele, é sugerido trocar a iluminação das ruas, alterar rotar de transporte público, para movimentar mais o bairro, pavimentar a região e instalar pontos de segurança.

Para Nélson Ferreira, líder comunitário da zona norte, "a prefeitura quer esvaziar a cracolândia para dizer que resolveu o problema e poder comercializar a região central. Mas, na verdade, só está transferindo as pessoas de lugar", diz.

"Não somos contra as políticas públicas, pelo contrário. Achamos que estes usuários merecem um tratamento digno e melhor do que o que será realizado aqui".

Resposta

A Prefeitura de São Paulo sob Bruno Covas (PSDB), diz que "a segunda fase do Programa Redenção está sendo realizada gradativamente".

"A transferência dos Atendes faz parte deste processo. Portanto, o Aente 1 foi incorporado ao Siat 2 (Serviço Integrado de Acolhimento Terapêutico), na rua Porto Seguro, para funcionamento de forma integrada com serviços de saúde. A população já está fazendo uso do serviço de atenção integral no novo endereço."

A gestão municipal também diz que "os usuários serão levados de vans e acompanhados pelos profissionais".

"O orçamento previsto até 2020 para o Redenção é de R$ 276,1 milhões. A meta da Prefeitura é de reduzir em 80% o número de usuários de drogas em logradouros públicos, em quadrilátero específico, na região da Luz e oferecer 600 novas vagas em locais específicos e capacitados para atendimento humanizado em saúde e assistência social para essas pessoas."

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.