Descrição de chapéu Zona Leste

Obra prometida para a Copa de 2014 causa transtornos na zona leste de SP

Corredor de ônibus em Cidade Líder está parado há cerca de um ano

Elaine Granconato
São Paulo

Uma obra parada por ao menos um ano do corredor de ônibus Leste-Itaquera, em trecho da avenida Líder que liga à avenida Itaquera, na Cidade Líder (zona leste), tem provocado uma série de problemas aos moradores do entorno.

Entre a lista de queixas está, principalmente, a dificuldade de pedestres em atravessar a via pública de alto tráfego, sem o mínimo de segurança ou semáforo instalado no local. 

Também há calçamento inadequado e com desnível, por conta da obra em parte da via toda esburacada, além de reclamações sobre falta de iluminação, lixo e ponto de descarte de entulho.

O corredor fazia parte do pacote de intervenções prometido para Copa do Mundo de 2014, ainda na gestão de Fernando Haddad (PT). O que não se concretizou.

O corredor de ônibus na avenida Líder, na zona leste, está com as obras paradas desde 2018 - Rivaldo/Folhapress

Houve uma tentativa de retomada da obra de mobilidade urbana na atual gestão Bruno Covas (PSDB), mas que, até então, não seguiu adiante.

"O que seria para valorizar o bairro, virou risco de vida. Até o semáforo de pedestres foi retirado daqui em janeiro", diz a assistente social Edna Matos Ferreira, 55 anos, que mora no condomínio em frente ao canteiro de obras que não tem qualquer vestígio recente de movimentação.

A não ser das pessoas em situação de rua que fizeram do local aberto moradia. O Agora presenciou ainda pedaços queimados de madeira, provavelmente dos tapumes colocados para isolar a área. Havia ainda lixo espalhado e pombos.

A cozinheira Noemi Nogueira de Queiroz, 39 anos, que é síndica em bloco da Cohab (Conjunto Habitacional) Padre José de Anchieta, diz que os carros não respeitam os pedestres. "A situação aqui está um caos. Elevaram o nível da rua em uns 30 centímetros. Uma hora um carro, sem direção, irá cair na vala", afirma.

Região tem  30 pontos  sem funcionar

Se não bastasse a coleção de problemas com a obra paralisada em trecho da avenida Líder, os moradores da região de Itaquera ainda sofrem com o corredor central de ônibus, com 30 pontos ao longo de três quilômetros de extensão da mesma avenida, que, simplesmente, não opera. O problema foi mostrado pelo Agora em 25 de maio.

A prefeitura entregou a obra inacabada há quase dois anos, após sucessivas paralisações. O problema é que o corredor não liga nada a lugar nenhum, com pontos de paradas fantasmas.

Sem a operacionalização do sistema no corredor central, os ônibus só circulam pela avenida Líder na faixa direita da via. "Até hoje nada de funcionar nem resposta. Quem sofre é a população", afirma o autônomo Rogério Leoni, 57 anos, que mora em frente ao trecho da obra paralisada do corredor e reclama do abandono. 

Obra paralisada por ordem do TCU

O Tribunal de Contas da União, em 2018, determinou a paralisação das obras do corredor de ônibus por problemas no processo de licitação e preços com valores que seriam superiores aos praticados do mercado.

Na época, houve rescisão contratual, inclusive por conta das irregularidades apontadas.
Neste ano, em abril, o TCU liberou a retomada da obra no corredor, o que até o momento ainda não ocorreu.

Segundo a prefeitura, o corredor de ônibus Leste-Itaquera terá 12 quilômetros de extensão, dividido em três trechos. Da rua Fortuna de Minas até a avenida Líder; das avenidas Líder e Itaquera, até a rua Heitor, e, finalmente, entre a avenida Itaquera e o centrinho.

No canteiro de obras desativado na avenida Líder, em frente à praça Francisco Munhoz Filho,há duas placas --uma da prefeitura e outra do governo federal-- apontando investimento de R$ 150.406.618,68 e conclusão para dezembro de 2019.

O valor do investimento hoje é de R$ 229 milhões, segundo a prefeitura.
Em nota, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) diz que "90% das obras previstas foram entregues". 

Resposta

A Secretaria Municipal de Obras, gestão Bruno Covas (PSDB), afirma, em nota, que nova licitação ocorrerá para conclusão de "8,4 quilômetros do corredor até dezembro de 2020, conforme meta do governo".

Ainda segundo a SPObras, "o consórcio contratado não está conseguindo executar os trabalhos", exatamente a mesma resposta da edição de 25 de maio ao Agora.

Ações de zeladoria serão realizadas no entorno da obra, após vistoria nesta quarta-feira (2) no local, afirma a nota. 

Sobre o corredor central, diz que só operará com a conclusão de trecho da avenida Itaquera. "Equipes intensificaram o monitoramento das pessoas em situação de rua." 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.