Descrição de chapéu Alalaô

PM prende mais de 500 suspeitos durante Carnaval de rua na capital paulista

No estado de São Paulo foram detidas 2.253 pessoas; também foram apreendidas 157 armas de fogo

São Paulo

A Polícia Militar prendeu na capital paulista 526 suspeitos durante o Carnaval de rua, somados os dias de pré e pós-festa. Durante o período, também foram apreendidas 11 armas de fogo. 

O total de ocorrências registradas durante o período ainda não foi finalizado pela  SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), que ainda irá somar aos dados da PM os casos da Polícia Civil.  

São Paulo, 1 de março de 2020. A cantora Daniela Mercury fecha o Carnaval paulistano com seu bloco Pipoca da Rainha, na rua da Consolação. Foto: Célia Santos/Divulgação
A cantora Daniela Mercury fecha o Carnaval paulistano com seu bloco Pipoca da Rainha, na rua da Consolação. - Célia Santos - 01.mar.2020/Divulgação

Foram, ainda de acordo com a corporação, 374 prisões em flagrante, 36 apreensões de menores e 116 foragidos da Justiça capturados. A corporação também apreendeu cerca de 20 quilos de drogas. 

Ao menos cinco pessoas foram esfaqueadas, sendo que uma delas morreu, no Carnaval de rua paulistano. Os crimes ocorreram entre as 22h30 do dia 23 e às 20h20 do dia seguinte na região central e na zona oeste.

Estado de SP 

No estado de São Paulo, a PM prendeu 2.253 pessoas, incluindo a apreensão de menores e captura de procurados. Foram também apreendidas 157 armas de fogo. 

Dados da corporação indicam ainda que 6.025 pessoas foram autuadas por se negar a fazer o teste do bafômetro. Todas tiveram o direito de dirigir suspenso, por 12 meses, e terão de pagar multa de R$ 2.934,70. 

A polícia flagrou 131 motoristas dirigindo sob o efeito de bebidas alcoólicas. Além de também ter as carteiras de habilitação suspensas, e pagar multa, eles foram indiciados pelo crime de embriaguez ao volante.

A polícia também apreendeu cerca e meia tonelada de drogas. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.