Prefeitura de São Vicente decreta estado de calamidade pública

Chuvas na cidade provocaram deslizamentos de terra e a morte de uma pessoa

A Prefeitura de São Vicente, na Baixada Santista, decretou estado de calamidade pública após as fortes chuvas que atingiram a cidade na madrugada desta terça-feira (3) deixarem um mortos e dois desaparecidos. Ao todo, 17 pessoas morreram e outras 31 seguem desaparecidas na região.

Nas últimas 72 horas choveu mais do que a média registrada para todo o mês de março na cidade (a 78km de São Paulo).  O volume de água causou deslizamentos de terra, pedras e alagamentos em várias vias.

O governador do estado de São Paulo João Doria sobrevoa as cidades afetadas pelas chuvas na Baixada Santista, na manhã desta terça-feira (3) - Governo do Estado de São Paulo
 

Segundo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, uma pessoa morreu e duas estão desaparecidas em São Vicente. Já o Corpo de Bombeiros trabalha com 12 desaparecidos na cidade. 

Segundo a Prefeitura, sob gestão de Pedro Gouvêa (MDB), houve deslizamentos de terra em quatro regiões: Morros do Itararé, Barbosas, Ilha Porchat e Parque Prainha, onde sete casas foram interditadas pela Defesa Civil. Segundo a administração, uma família de seis pessoas foi encaminhada para o abrigo municipal.

A Secretaria de Trânsito e Transportes de São Vicente, o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que vai de São Vicente até Santos, está suspenso. O motivo da interrupção é um deslizamento de terra próximo a um túnel que liga as duas cidades. 

Além disso, segundo a Prefeitura, a cidade tem pontos de alagamentos nas regiões do Jóquei Clube e Cidade Náutica, o que o prejudica a circulação dos ônibus municipais. 

Há ainda sete escolas e cinco unidades de saúde fechadas em razão dos alagamentos. 

No fim da manhã de terça, o governador João Doria (PSDB) sobrevoou as áreas atingidas pela chuva na Baixada Santista. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.