Descrição de chapéu Coronavírus

Marcação de consultas nas UBSs de SP volta com problemas

Várias unidades não tinham informação sobre o agendamento

Fábio Munhoz
São Paulo

Depois de a Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), ter autorizado a retomada das consultas com especialistas na rede pública de saúde, algumas unidades da capital ainda não estão realizando agendamentos com médicos. Os atendimentos sem urgência haviam sido suspensos na cidade desde o dia 20 de março em razão da pandemia do novo coronavírus.

O decreto que autoriza a remarcação de consultas, exames de rotina e procedimentos simples foi publicado no último sábado (30) pelo secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido. O texto define como prioridade a remarcação de consultas que tiveram de ser canceladas em razão da pandemia.

No início da tarde desta segunda-feira (1º), a reportagem do Agora ligou em 12 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de diversos bairros da capital. Em sete delas (Jardim Peri, Vila Ramos, Vila Barbosa, Jardim Boa Vista, Vila Dalva, Gaivotas e Almirante Delamare), funcionários disseram não ter recebido informações sobre a liberação.

Os colaboradores da unidade foram avisados de que o interesse era por remarcação de consultas suspensas —conforme especificado no decreto. Mesmo assim, a informação dada nessas unidades foi de que ainda não era possível fazer o agendamento.

Em outros postos de atendimento, os funcionários disseram que já estão remarcando as consultas. Na UBS da Vila Antonieta (zona leste), a atendente afirmou que seria dada prioridade a pacientes com comorbidades, como pressão alta, diabetes, entre outros. Na UBS do Jaçanã (zona norte), foi dada a informação de que, caso houvesse vagas, seria possível marcar pelo aplicativo Agenda Fácil.

As UBSs Boracea e Vila Ipojuca, na zona oeste, e Parque São Lucas, zona leste, estavam agendando consultas.

Especificações

De acordo com o decreto, as consultas, exames e pequenos procedimentos estão liberados a partir desta segunda em hospitais-dia, ambulatórios de especialidades e AMAs. As cirurgias eletivas de maior complexidade —realizadas em centros cirúrgicos— continuam suspensas.

Para minimizar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus, o texto define regras, como limitar o número de atendimentos. O acesso do paciente aos consultórios deverá se dar, exclusivamente, no horário agendado.

As especialidades que tiveram autorização para voltar a atender são: Endocrinologia, Cardiologia, Psiquiatria, Hematologia, Nefrologia, Neurologia, Geriatria, Pré-Natal de Alto Risco, Pneumologia, Infectologista, Mastologista, Dermatologia, Gastroenterologia, Hematologia, Homeopatia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Reumatologia e Ortopedia.

Entre os exames, foram liberados: ultrassonografia, ecocardiograma, mamografia, densitometria óssea, eletrocardiograma e eletroencefalograma. A orientação é para que os exames sejam marcados com 40 minutos de intervalo ou conforme indicação do gestor local.

Resposta

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo afirmou que irá "reforçar" as informações sobre a ampliação nos atendimentos nas unidades da capital.

"O atendimento será de forma a evitar aglomerações e todos os pacientes deverão seguir as regras de biossegurança, que visa à proteção da população e dos profissionais de saúde. O objetivo, neste momento, é receber os pacientes que já estavam agendados para atendimentos de baixa complexidade", diz a nota.

A pasta diz ainda que os "atendimentos nas AMAs ( Assistência Médica Ambulatorial ) Especialidades, que atendem pacientes encaminhados pela UBS para diversas especialidades, e não para as unidades de AMA, que atendem demandas não agendadas de baixa complexidade e que não sofreram alteração durante a pandemia".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.