Descrição de chapéu Interior

Polícia investiga três suspeitos pela morte de estudante que fazia caminhada no litoral de SP

Corpo de Julia Rosenberg Pearson foi encontrado na segunda; ela saiu para fazer uma trilha e desapareceu

São Paulo

A polícia de São Sebastião (191 km de SP), no litoral norte paulista, investiga três suspeitos pela morte da estudante de veterinária Julia Rosenberg Pearson, 21 anos. A jovem desapareceu no manhã de domingo (5), quando saiu para fazer uma caminhada entre as praias de Paúba e Maresias. Seu corpo foi encontrado no dia seguinte em uma cova rasa.

Moradora na capital paulista, ela estava no litoral, junto com parentes, desde o início da pandemia da Covid-19, onde fazia a quarentena.

A polícia encontrou manchas de uma substância ainda não identificada nas calças usadas por Julia. Dois dos suspeitos, segundo apurou a reportagem, já prestaram depoimento no 2º DP de São Sebastião e teriam se comprometido a entregar material genético para ser confrontado com o encontrado na roupa da jovem.

A polícia aguarda resultados de exames de perícia para confirmar o que seriam as três manchas.

Julia Rosenberg Pearson, 21 anos, desapareceu ao fazer uma trilha, domingo (5), em São Sebastião (191 km de SP). O corpo da jovem foi encontrado enterrado em uma cova rasa, por volta das 6h50 do dia seguinte, em um matagal perto da trilha que costumava fazer, entre as praias de Paúba e Maresias. - Reprodução/Redes Sociais

O terceiro suspeito ainda era procurado, por investigadores do litoral norte paulista. Ninguém havia sido preso até a publicação desta reportagem.

No dia em que o corpo de Julia foi encontrado, um homem chegou a ser encaminhado ao 2º DP de São Sebastião, após ser apontado como suspeito, por uma denúncia anônima. Ao ser ouvido pela polícia, ele negou envolvimento no crime. O homem apresentou um álibi que, “salvo pequenas contradições”, confirmam a versão dele, disse a polícia, na ocasião.

Segundo o boletim de ocorrência, o corpo de Julia foi encontrado por um morador da região e por PMs que faziam buscas pela jovem. Ela estava coberta por folhas, perto de uma antena de transmissão de telefonia móvel.

Ainda de acordo com a polícia, a perícia constatou sinais de estrangulamento no corpo da estudante. Um pedaço de cinto estava em volta do pescoço da jovem e um tecido foi encontrado na boca da vítima. Por enquanto, a polícia descarta violência sexual, mas aguarda laudos para confirmação.

Investigadores coletaram imagens de câmeras de monitoramento, que serão analisadas para ajudar a identificar o autor do crime. Em um dos vídeos, Julia é vista caminhando sozinha às 7h24.

O delegado seccional Múcio Mattos Monteiro de Alvarenga enviou nota à imprensa afirmando que o Núcleo de Perícias Criminais de São Sebastião colheu "relevantes indícios" que poderão "servir para apontar o autor do crime."

"Da mesma forma, o doutor Ricardo Cortez, na sede do Instituto de Médico Legal, constatou, quando da realização do devido exame necroscópico, evidências que também podem servir para o mesmo propósito", diz trecho do documento. Não são especificados os indícios e evidências mencionados.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB) afirmou que as investigações sobre a morte da estudante "estão em andamento". "Por hora não há novidades ou detalhes que possam divulgados para não prejudicar o trabalho policial", diz trecho de nota.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.