Descrição de chapéu Zona Sul

Motorista morre ao verificar suspensão de ônibus na zona sul de SP

Amotecedor do veículo atingiu a cabeça da vìtima, de 64 anos; o homem analisava problemas mecânicos no coletivo

São Paulo

Um motorista de ônibus de 64 anos morreu após ter a cabeça esmagada quando foi verificar a suspensão do veículo que guiava. O caso ocorreu por volta das 6h20, desta segunda-feira (5), no terminal rodoviário do Jabaquara (zona sul da capital paulista).

Um cobrador do coletivo, da Viação Grajaú, disse à polícia que ele e o motorista Cícero Severino de Souza começaram a trabalhar, por volta das 4h20, na linha 61-126(Castro Alves/Jabaquara). Após pouco mais de uma hora, ainda de acordo com o cobrador, o ônibus apresentou problemas na suspensão, fazendo com que o veículo “pulasse” enquanto trafegava.

Por causa disso, o condutor decidiu trocar de carro, na garagem da empresa. Antes disso, porém, ele foi com o ônibus até o terminal do Jabaquara, onde informou ao cobrador que iria ao banheiro.

Passageiros aguardam embarque em coletivo no terminal do Grajaú (zona sul da capital paulista) - Rivaldo Gomes/Folhapress 08/06/2020

Após desembarcar, segundo boletim de ocorrência, o motorista foi verificar a suspensão do ônibus, que estava com o motor ligado. Para isso, ainda de acordo com o documento policial, a vítima colocou a cabeça entre a roda direita dianteira e a caixa de roda do veículo, “momento em que o amortecedor baixou, culminando no esmagamento de sua cabeça”, diz trecho do BO.

Os bombeiros foram acionados, constatando a morte do condutor ainda no local.

Resposta

Segundo a Viação Grajaú, o motorista Cecílio Severino de Souza “foi vítima de um acidente de trabalho”. Por telefone, o setor de Relações Humanas da empresa afirmou que o funcionário verificava a "bolsa de ar" do ônibus, que "abaixou", ferindo mortalmente a vítima. A viação acrescentou que ofereceu apoio à família do funcionário.

Souza trabalhava há 28 anos e nove meses na empresa. Ele era casado e deixa filhos. "Foi uma fatalidade. Em 30 anos, nunca houve um acidente como este na empresa", disse uma porta-voz da viação por telefone.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.